O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

segunda-feira, 2 de julho de 2012

THRIVE, FACEBOOK, CIA E A ESCRAVIDÃO PLANETÁRIA


Pois é, como muitos e muitos outros, também assisti esse documentário. Muito bem feito. Bem feito até demais... (pobre quando vê muita esmola desconfia). Minha conclusão final é que "ele", o "Thrive", desvia a nossa atenção, muito sutilmente, do que de fato interessa. "Faça parte do debate! Seja parte da solução!", YES WE CAN, isto é velho como o mundo que está aí. Pergunte aos políticos.

THRIVE: What On Earth Will It Take?

Você teve a mesma visão que eu? Ainda não? Então vejamos com atenção um desapercebido enorme detalhe neste papo todo.

As soluções e críticas apresentadas são velhas como o mundo. Se você tentar por em pratica qualquer uma delas aparecerá rapidinho um "reptiliano" com uma montanha de lei feitas por eles mesmo para mostrar o porque de você estar sendo chamado de "terrorista" por desagrado ao sistema.
Dizer que o sistema é escravista já virou meu lema. Sinto muito. Abre o olho. Quem nunca estudou história, filosofia ou política, e até quem já estudou, entra direitinho nesta ratoeira disfarçada de bons propósitos e cheios de recortados testemunhos e visões do mundo "antireptiliano". Não me convenceu.

Para mim, a grande revolução não está em sobreviver em um quilombo, à margem da senzala e da casa grande. O Grande objetivo desse "vir a ser" é libertar-se desta escravidão reptiliana com um outro nível de compreensão do que de fato somos nós, onde estamos e aonde queremos ir.

Somos "mágicos", criadores do que desejarmos ser e ter, divinos e perfeitos, não há nada de errado conosco. Os escravistas programas/memórias reptilianos inoculados ancestralmente em nosso subconsciente caótico é que nos acorrentam ao sofrimento perene e nos impedem de vermos de fato quem somos nós.
Para mim este documentário sofistica as teses do velho NEW AGE, e outros "movimentos" coloridos muito utilizados no final do século passado, e já neste também, para desviar a atenção do que de fato interessa saber e fazer para nos libertarmos de uma vez por todas desta escravidão disfarçada de democrático livre arbítrio onde você pode escolher entre ser ou não ser um bom escravo.

Não podemos esquecer que o plano deles é milenar, sempre aperfeiçoado e militarmente diabólico.
A grande libertação não está no plano material como eles estão propondo, não há escassez de nada, o universo não conhece escassez, o divino está em permanente expansão, é infinito e é só abundância. Nós somos partes integrantes dele, não estamos separados.

A grande revolução é "espiritual", ou que outro nome se queira dar para isso. Ela é amorosa, vibracional, ressonante, intrapessoal e intransferível, é de dentro para fora. Não há como continuar querendo viver num mundo melhor, fora, sem mudarmos o nosso, dentro, primeiro.

As soluções virão na medida que o somatório de ressonantes modificados de dentro para fora determinarem uma nova qualidade de programas/memórias/sentimentos compartilhados amorosa e incondicionalmente. Sem jogarmos fora o lixo/pensamento escravista não iremos a lugar algum.
A grande prisão do ego está bem montada, vigiada e garantida pelas artimanhas reptilianas por detrás destas sedutoras imagens e pseudo novas idéias, muito saudáveis à primeira vista... Capciosos... Usam o que for preciso para nos iludir em permanente escravidão.

Será que me faço entender? Esta é minha maneira de ver a razão porque o filme não me agradou de um momento em diante. Faltou o dado "amor incondicional" na execução da proposta. Mensagens subliminares não faltaram. Faltou o dado principal e ninguém percebeu ou está percebendo em meio a emotividade embrulhada por toda essa barulheira audio/visual. Há uma linha, no fechamento do filme, tensa e forte de revanche e vingança.

Podiam começar propondo levantar o inumano bloqueio à Cuba onde com toda a maldade do império reptiliano, que não quer deixa-los prosperar, não há uma única criança abandonada nas ruas ou passando fome e doente ao deus dará. E o mundo está cheio de Cubas e Líbias e outros exemplos onde o império reptiliano escravista degola todo aquele que queira prosperar em paz, se libertar ou se manter livre, pacífico e próspero.

É preciso estar atento, esperto e forte. Ao aflito ignorante da verdade, qualquer tábua podre, cheia de pregos pontudos e enferrujados é a espetacular derradeira salvação. 

Você não pode reconhecer o que não conhece... SÓ O AMOR INCONDICIONAL PODERÁ NOS SALVAR. Mas, NINGUÉM QUER SE ENGAJAR NEM PROPOR ESTE MOVIMENTO, não dá lucro aos escravistas.

Não podemos desligar nossos detectores de mentiras, ninguém virá nos salvar. Não acredito em reptilianos bonzinhos. A hora é de separar o joio do trigo. 
Assistam, conectem os pontos e tirem suas conclusões. Ou não! Eu já fiz minha escolha.
Sinto muito, sou grato.
Esta postagem foi inspirada em um comentário que fiz no estimado blogue http://evoluindo-sempre.blogspot.com.br/

5 comentários:

  1. Hummm
    Muito interessante a sua percepção: "(...) Há uma linha, no fechamento do filme, tensa e forte de revanche e vingança.(...)".
    Sabia que senti isso de leve também?
    Porém eu estou tendo um nível de percepção já a algum tempo que está se estabelecendo a cada dia, isto é está cada vez mais consciente, mais presencial...
    Até postei um pouco dessa percepção numa das ultimas postagens...
    Sinceramente não estou vendo mais esse mundo escravagista, porque cada vez mais, apesar de saber já a muitos anos , desde de criança...mas agora está cada vez mais consciente...que esse mundo é uma passagem mesmoooooo, é ilusório..o real é outro...a preocupação de que os seres dominadores desse mundo que são ultramente apegados a esse mundo estão fazendo o bem ou o mal a humanidade não está mais me aborrecendo ou me revoltando...estou praticando cada vez mais em estar na vibração que quero estar e ver o lado bom e saudável imutável e indestrutível que há emanado em todos os cantos do Universo...estou numa sintonia de Harmonia e Gratidão...
    O filme Thrive e os Movimentos com toda a certeza tem o dedinho dos dominadores do mundo...como eu estou querendo ver o lado positivo e harmonioso que existe indestrutivelmente em Tudo..quero ver o lado bom dessas propostas..mesmo percebendo de leve que possa ter outras intenções sombrias, porém estou percebendo também que nesse mundo momentâneo a sombra coexiste mesmo com a Luz...vamos observando o Jogo ...Abraços

    ResponderExcluir
  2. Uauuuuuuuuuuu, finalmente amigo!!!!
    Alguém que pensa como eu!!!!!
    Esse cara que dita o filminho tem uma grana preta!!!

    Filme limpo,politicamente correto, e tudo que não gosto!!!!

    Como é bom saber que não estou só!
    Que outros virão e entenderam...
    Beijos
    Rita Z

    ResponderExcluir
  3. Apesar de não ter visto o documentário, eu já tinha alguns conhecimentos sobre o que é exposto no vídeo.

    Com a sua análise do filme, eu juntei as peças e realmente faz sentido tudo o que você escreveu meu caro amigo.

    Cadê o amor incondicional nesse vídeo? Como querem criar uma mudança no exterior, sem pensar em mudar o interior primeiro?!

    Bem meu amigo, eu repassei o link dessa postagem para o blog de um amigo meu, através de um comentários que fiz lá (http://leaoacordado.blogspot.com.br/2012/04/filme-thrive-what-on-earth-will-it-take.html). Sou grato e gostaria deixar a música do novo álbum da banda Catedral para reflexão: http://letras.mus.br/catedral/1981568/

    Fica na paz e que você tenha sempre muita amor e sabedoria em sua vida...

    ResponderExcluir
  4. Bem-vindos! Estamos acordando. Custei pegar este "bicho" pelo pé. Sempre desconfiei destas propostas ditas novidades. Para mim a maior e única novidade será quando propuserem a campanha pelo amor incondicional. Nem as tais religiões fazem isto.
    Precisamos, sempre juntos, darmos as mãos para a saída deste labirinto do nada em que programas e memórias escravistas nos mantém prisioneiros. Estou certo que encontrei a saída, finalmente. Está na nossa cara o tempo todo, mas, programas/memórias escravistas são mantidos para nos cegar em perene escravidão.

    Todos são chamados mas poucos atendem ao chamamento. Pedimos a limpeza e somos atendidos. "Batei e abrir-se-vos-a"...

    Todos somos lúcidos, divinos e perfeitos quando os programas perdem seu poder de nos comandar.

    Já pensaram quando todos fizerem isto?
    Minha estima e um fraterno longo abraço a todos vocês.

    Sou grato.

    ResponderExcluir
  5. Amor incondicional é a conseqüência de um trabalho interior. Acho que falta mais coisa para a solução, que é o próprio trabalho interior e auto conhecimento. Mas concordo que o filme seja um engano que usa a antiga tática da elite: "As coisas devem mudar para permanecer como estão". Estas são as palavras do escritor italiano Lampedusa referindo-se às transformações sociais na Itália na época de Garibaldi, descritas no romance O Leopardo.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails