O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Jogo com fuga de traficantes da Vila Cruzeiro tem 50 mil acessos em 24h.

Cínicos, escarnecem e propõem aos cegos escolher exatamente o que lhes foi e é induzido pela sub-repção da verdade.   Cito o texto deles para instruções...

"O objetivo do jogo não é matar os traficantes, nem tampouco deixá-los fugir, é apenas mostrar um novo ponto de vista para a situação e deixar cada um agir e tirar suas próprias conclusões."


As novas gerações desumanizadas estão sendo doutrinadas desde a infância para aceitar a barbárie que se aproxima com a entusiástica frieza do desamor e desafeto dos dominadores.

Quando a estupidificação para alienação e dominação é a meta, toda falsa premissa se torna "verdadeira" aos cegados pelos propósitos genocídas da belicosa escravagista pseudo "nova" ordem mundial. Esta é a mesma velha ("nova") ordem que mantém a desordem planejada engenhosamente para nos escravizar sem que, ocupados em nos defender desse jogo sujo, aterrorizados, aceitemos nossa invisibilizada escravização. Estamos senzalados e não nos damos conta disso.

Pense bem seriamente sobre isto.

Doutrinações terroristas e fratricidas substituem toda e qualquer amorosa proposta lúcida de entendimento e mudança radical do estado de barbárie na pseudo governança que nos oprime e senzala.

A todos, na ignorância dos verdadeiros facínoras que nos exploram e perenemente se enriquecem às custas do nosso permanente infantilismo e desconhecimento do mal que verdadeiramente nos proporcionam.

Incapacitados de pensar a verdade escondida pela midiocracia, de propriedade desse "invisíbilizado" 4º Reich em ascensão imposto pela (velhíssima escravagista) nova ordem mundial, o genocídio ordenado pelo império do mal, agora, avança morro acima para, mais tarde, descer em sangueira morro abaixo, aceito, pedido e endeusado, pela boçalidade que avassala a sociedade dolosamente aturdida e manipulada. 

Quando e quem, vai contar e acusar os injustos sacrifícios de inúmeras chacinas dessa trágica farsa?
Quem se responsabilizará pelo estado terrorista a que foi conduzida "a cidade justa" para fins inconfessos? 

A doutrinação da infância e  juventude para a "natural" aceitação da barbárie segue descarada e lucrativa.

Jogo com fuga de traficantes da Vila Cruzeiro tem 50 mil acessos em 24h.

Jogo com fuga de traficantes da Vila Cruzeiro tem 50 mil acessos em 24h

"Símbolo do Bope aparece enquanto jogo carrega"
SÃO PAULO - Uma das cenas mais marcantes durante a ocupação policial dos morros na zona norte do Rio, se tornou um web game com mais de 50 mil acessos em cerca de 24 horas. O jogo dá a oportunidade de atirar nos traficantes enquanto eles tentam fugir. O 'Fuga da Vila Cruzeiro' capturou um frame da imagem amplamente divulgada pela TV Globo, que mostra o momento em que traficantes abandonam a favela, através de um morro, em direção ao Complexo do Alemão com base.
O texto de abertura diz: 'A Polícia Militar faz uma megaoperação contra o tráfico de drogas (...) Centenas de traficantes, acuados na Favela Vila Cruzeiro, fogem desesperados (...) O objetivo é apenas retratar aquele momento e dar a você uma oportunidade de decidir'. Criado na segunda-feira, 29, o jogo hospedado no site Kongregate ganhou destaque e virou sucesso nas redes sociais em poucas horas após sua disponibilização.
Nos comentários do site do jogo, um usuário fala 'Acho que muita gente que viu esse vídeo, desejou poder fazer isso...'. Outros afirmam que é engraçado. Jogadores de outros países reclamaram que não havia uma apresentação em inglês, para que se entendesse o intuito do jogo.
O game foi criado pela Pindorama Games, responsável por jogos publicitários. Em seu site, a empresa afirma que o intuito é apenas uma crítica social. 'O game dá ao jogador a oportunidade de interferir nos acontecimentos recentes do Rio de Janeiro. O objetivo do jogo não é matar os traficantes, nem tampouco deixá-los fugir, é apenas mostrar um novo ponto de vista para a situação e deixar cada um agir e tirar suas próprias conclusões'.
fonte
sinto muito, me perdoe,te amo, sou grtato 
Saiba mais sobre esta tragédia genocida em curso, invisibilizada pela lucrativa midiocracia.




O direito à inviolabilidade de domicílio garantido pela Constituição está sendo sistematicamente violado nas favelas de Vila Cruzeiro e Complexo do Alemão, depois da invasão das forças de segurança cariocas com o apoio do Exército e Aeronáutica, para expulsar traficantes. 

Cerca de 80% das famílias residentes nas duas favelas são negras e, no caso da Vila Cruzeiro, a favela originalmente era conhecida como Quilombo da Penha formado no final do século XIX, logo após a Abolição, no entorno da Igreja de Nossa Senhora da Penha. O Santuário do mesmo nome foi visitado pela Princesa Isabel, 18 dias antes de proclamada a Lei Áurea. 

De acordo com a Constituição a entrada nas residências teria de ser feita mediante autorização do morador ou por mandado judicial. A única exceção é no caso de flagrante. 

Dois pesos e duas medidas

As denúncias servem para revelar como a Lei e a própria Constituição, no Brasil, não é igual para todos, em especial em se tratando de uma população negra e pobre. Em situação similar, se a busca de traficantes se desse em bairros da classe média como Copacabana, Ipanema e Leblon, onde mora a maior parte dos consumidores da cocaína vendida pelos traficantes, a invasão de casas, sem mandado judicial, geraria escândalo e protestos generalizados na opinião pública.

As invasões de domicílios de famílias negras e pobres sem mandado judicial, também vem sendo ignoradas pela mídia – especialmente as redes de TV, com a TV Globo à frente – que resolveram dar ao confronto das forças de segurança com traficantes os tons épicos de uma guerra, com a comparação do episódio ao Dia D, como ficou conhecido o desembarque das tropas aliadas na Normandia. Bandeiras do Brasil e do Rio foram hasteadas para simbolizar a vitória “dos aliados” e a libertação das comunidades.
Indignação

Moradores das duas favelas invadidas começam a se revoltar porque – sem mandado judicial – policiais militares começaram a fazer a varredura nas casas, em busca de drogas e fugitivos. Há denúncias de abusos e famílias que deixaram as favelas devido aos tiroteios contam que voltaram para casa e tiveram uma surpresa: tinham sido roubadas. Testemunhas contam que ladrões aproveitaram o arrombamento das portas feito pela Polícia para invadir casas.

Só no Complexo do Alemão – o conjunto de favelas da zona norte do Rio - existem 30 mil residências. 

As denúncias já chegaram a Ordem dos Advogados do Brasil no Rio, que informou que acompanha a varredura nas casas para evitar excessos. O presidente da OAB carioca, Wadih Damous, cobrou respeito à Lei nas buscas.

"De fato, esta é uma situação de crise, em que criminosos podem estar escondidos em residências, mas a lei tem de ser respeitada", afirmou Damous. "Apoiamos a operação, mas ela deve ser feita, em todos os momentos, dentro do que manda a Constituição e a lei."

O secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse que os policiais cumprem apenas mandados de prisão contra traficantes considerados foragidos, mas garante que as buscas serão feitas conforme a Lei. "As casas são (investigadas) em condição de flagrante ou com a própria concessão do morador. Essa é a regra", disse o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, em entrevista coletiva de ontem.

Um pedreiro, morador da Favela do Grota, no Complexo do Alemão, que não quis se dentificar, porém, denunciou ter sido roubado. “"Quando cheguei, a porta estava arrombada e o computador e um ventilador haviam sumido", conta o pedreiro. “A polícia deveria esperar o morador chegar antes de entrar", acrescenta.
Continua aqui

Um comentário:

  1. Não basta executar a babárie, é preciso popularizá-la, assim pensam os fascistas.
    abs!

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails