O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Shirley Maclaine, EU SOU O QUE SOU?




"Uma enregelante onda de solidão perpassou através de mim. Seria isso que os grandes mestres queriam dizer quando descreviam a atordoante solidão que precede o reconhecimento do poder totalmente espantoso de alguém? A questão seria o poder interior da pessoa? Todas as questões, triunfos, conflitos e tragédias em nossas vidas seriam projetadas por cada um de nós para nos por em contato com nossos próprios poderes? Se podíamos criar algo tão negativo quanto a guerra, certamente podíamos criar a sua polaridade. E nos responsabilizarmos pelo poder da própria pessoa seria a expressão final do que chamamos de força-Deus.
Seria este o significado da afirmação EU SOU O QUE SOU?
Seria a procura de Deus sem sentido, uma vez que Ele estava dentro de mim? E Deus dentro de cada um de nós? Seria a auto procura a única jornada digna de ser realizada, pois o que descobriríamos - perceberíamos posteriormente - era nossa criação, de qualquer forma? 
Caminhei longamente sob as estrelas. A roda inevitável girava aos trancos em minha cabeça. Eu criara tudo ou tudo me criara? Como uma dessas opções poderia se provada? Contudo, se minha realidade era uma questão do que eu percebesse que fosse, então, independentemente do modo como a olhava, eu fizera a escolha. Eu era alguém com poderes em relação ao processo de tomada de decisão de como me relacionar com a realidade. Assim, quanto à verdade, que diferença fazia? Era eu quem escolhia como experimentar a vida.
Do livro "A vida é um palco" - de Shirley Maclaine.
Fonte

Deu para ligar mais uns pontos? 

Caprichemos nos deveres de casa.
O Universo Criador é o Infinito e está em Expansão. Estamos dentro. Se ocê não desligar as TVs que nos hipnotizam jamais poderá ver estas verdades.
Inté!
Comece por você e ajude alguém mais...
Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails