O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

sábado, 22 de janeiro de 2011

Todos os dias o povo respira, come e bebe veneno

Tempestade na tarde de 19 de jan 2011 Niterói RJ Brasil



O Haítí
O agronegócio é parte do plano de dominação mundial para nos levar à fome e ao caos fratricida da guerra. 

Objetivam, com o terror e a manutenção do nosso permanente medo de tudo, emoção que os alimenta, nos paralisar, controlar e reduzir, a todos, já mundialmente confinados em suas senzalas, nos substituir por máquinas e asseclas "ciborgues" obedientes. 

A (velhíssima) nova ordem mundial escravagista vem usando a combinação de várias táticas de seus jogos de guerra sob o comando da arma HAARP para desestabilizar, em insuspeito genocídio, as populações enquanto midiotizadas assistem ao futebol, novelas e bbbs se empanturrando de drogas lícitas e ilícitas e tudo  aquilo que intencionalmente as adoece e mata. E os políticos estão aí para nos manter ocupados discutindo no labirinto do nada com a ilusão de que temos liberdade de escolha. Enquanto isto os intocáveis banqueiros se divertem contando as doações de mais juros sobre juros, que aterrorizado, honestamente, o povo corre a depositar para tentar se socorrer.



21 de janeiro de 2011 às 11:30

Stédile: Todos os dias o povo come veneno

29.11.10 – BRASIL
Todos os dias o povo come veneno. Quem são os responsáveis?

João Pedro Stédile *, no Adital

O Brasil se transformou desde 2007, no maior consumidor mundial de venenos agrícolas. E na ultima safra as empresas produtoras venderam nada menos do que um bilhão de litros de venenos agrícolas. Isso representa uma media anual de 6 litros por pessoa ou 150 litros por hectare cultivado. Uma vergonha. Um indicador incomparável com a situação de nenhum outro país ou agricultura.
Há um oligopólio de produção por parte de algumas empresas transnacionais que controlam toda a produção e estimulam seu uso, como a Bayer, a Basf, Syngenta, Monsanto, Du Pont, Shell química etc.
O Brasil possui a terceira maior frota mundial de aviões de pulverização agrícola. Somente esse ano foram treinados 716 novos pilotos. E a pulverização aérea é a mais contaminadora e comprometedora para toda a população.
Há diversos produtos sendo usados no Brasil que já estão proibidos nos países de suas matrizes. A ANVISA conseguiu proibir o uso de um determinado veneno agrícola. Mas as empresas ganharam uma liminar no “neutral poder judiciário” brasileiro, que autorizou a retirada durante o prazo de três anos… e quem será o responsável pelas conseqüências do uso durante esses três anos? Na minha opinião é esse Juiz irresponsável que autorizou na verdade as empresas desovarem seus estoques.
Os fazendeiros do agronegócio usam e abusam dos venenos, como única forma que tem de manter sua matriz na base do monocultivo e sem usar mão-de-obra. Um dos venenos mais usados é o secante, que é aplicado no final da safra para matar as próprias plantas e assim eles podem colher com as maquinas num mesmo período. Pois bem esse veneno secante vai para atmosfera e depois retorna com a chuva, democraticamente atingindo toda população inclusive das cidades vizinhas.
O Dr. Vanderley Pignati da Universidade Federal do Mato Grosso tem várias pesquisas comprovando o aumento de aborto, e outras conseqüências na população que vive no ambiente dominado pelos venenos da soja.
Diversos pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer e da Universidade federal do Ceara já comprovaram o aumento do câncer, na população brasileira, conseqüência do aumento do uso de agrotóxicos.
A ANVISA -responsável pela vigilância sanitária de nosso país-, detectou e destruiu mais de 500 mil litros de venenos adulterados,somente esse ano, produzido por grandes empresas transnacionais. Ou seja, alem de aumentar o uso do veneno, eles falsificavam a fórmula autorizada, para deixar o veneno mais potente, e assim o agricultor se iludir ainda mais.
O Dr. Nascimento Sakano, consultor de saúde, da insuspeita revista CARAS escreveu em sua coluna, de que ocorrem anualmente ao redor de 20 mil casos de câncer de estomago no Brasil, a maioria conseqüente dos alimentos contaminados, e destes 12 mil vão a óbito.
Tudo isso vem acontecendo todos os dias. E ninguém diz nada. Talvez pelo conluio que existe das grandes empresas com o monopólio dos meios de comunicação. Ao contrário, a propaganda sistemática das empresas fabricantes que tem lucros astronômicos é de que, é impossível produzir sem venenos. Uma grande mentira. A humanidade se reproduziu ao longo de 10 milhões de anos, sem usar venenos. Estamos usando veneno, apenas depois da segunda guerra mundial, para cá, como uma adequação das fabricas de bombas químicas agora, para matar os vegetais e animais. Assim, o poder da Monsanto começou fabricando o Napalm e o agente laranja, usado largamente no Vietnam. E agora suas fabricas produzem o glifosato, que mata ervas, pequenos animais, contamina as águas e vai parar no seu estômago.
Esperamos que na próxima legislatura, com parlamentares mais progressistas e com novo governo, nos estados e a nível federal, consigamos pressão social suficiente, para proibir certos venenos, proibir o uso de aviação agrícola, proibir qualquer propaganda de veneno e responsabilizar as empresas por todas as conseqüências no meio ambiente e na saúde da população.
* Economista. Integrante da coordenação nacional do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) e da Via Campesina Brasil
Para ouvir uma entrevista imperdível do Stedile, em que ele trata deste e de muitos outros assuntos interessantes, clique aqui.


 
"O exército americano revelou também que havia feito 239 experiências em ar aberto, das quais 80 incluíam germes, isso entre 1949 e 1969. Isso significa que houve quatro intervenções anuais sobre as cidades americanas durante vinte anos! Pelos relatórios da CIA, ela também, durante o mesmo período, havia bombardeado cidades inteiras com germes e bactérias. Essas experiências teriam sido suspensas após 1969.
Mas os americanos não foram somente bombardeados por germes. A NBC comunicou em 16 de julho de 1981 que a União Soviética submeteu o noroeste dos Estados Unidos durante vários anos a um bombardeio com ondas de baixa freqüência."
Leia toda esta espetacular informação AQUI






Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato.

4 comentários:

  1. O que pode explicar alguma coisa disso também é o autoritarismo, o totalitarismo afetivo. A vontade de se ter o poder absoluto sobre todos, e a prática de políticas genocidas. Tragédias que matam a "escória" de uma sociedade dão ao "donos do poder" um riso no canto dos lábios (dos mais cínicos) e gargalhadas aos que não estão nem aí. Lembrando a edição de reportagem do JN, falando das enchentes e destruição da Região Serrana e pondo Dilma gargalhando, eram justamente os Senhores da Casa Grande que riam, mas tem que mostrar o outro.

    ResponderExcluir
  2. E o CApitalismo predatório se encontra numa encruzilhada quando o assunto é a produção de alimentos. Baseada única e exclusivamente no lucro, como já sabemos, esta política predatória há de aumentar "infinitamente" a produção de bens alimentícios, usando a química para contrariar a natureza, catalisar o processo. Só que quem comprará são os da classe que eles ainda aceitam, toleram um pouquinho, a média-alta, podemos dizer assim. E Que não comprará toda o excedente de produção. E os pobres, tanto os do mundo inteiro quanto os de uma região? Não podendo comprar, comerão o que puderem, o que acharem? Receberiam como presente o excedente, para morrerem envenenados, acabando com o "Lucro", fim último deste sistema dito "natural, humano"?

    ResponderExcluir
  3. Pois é Thiago, sou grato por sua presença ilustre; e a coisa é muita mais feia do que supõe nossa vã inafantilizada (por eles) credulidade na "lisura" desse sistema escravagista travestido de "governo do povo para o povo". Pergunte ao Bento XVI e seu "invisível" Banco do Vaticano com mais de 2 BILHÕES de fiéis contribuintes e a sempre na sombra dos bastidores Rainha da Inglaterra que de figurante não tem nada...
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. Aldo

    Isto realmente é assustador!!!

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails