O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

domingo, 9 de janeiro de 2011

Heloisa Villela, em Washington, e eu aqui a conectar os benditos pontos.


Não vou me alongar, é imprescindível  ler toda esta matéria lá no VIOMUNDO, inclusive os muitos comentários. Já bati nesta tecla antes e vou continuar batendo; a doutrinada pela FARMÁFIA "medicina oficial", imposta pelos organismos internacionais como OMS,  OMC, ONU, e outros, esta medicina que os médicos aprendem nas faculdades oficializadas e gerenciadas pelo sistema escravagista mundial e sua solerte ideologia ainda vigente e nutrida; só aqui no Brasil há 510 anos; é uma fraude internacional.
Eu sou a prova ainda viva desta verdade, isto para não citar outras inumeráveis fontes disponíveis, inclusive muitos de vocês e seus parentes. Testemunhos e relatos não faltarão aos milhões.


Com todo respeito, fui um paciente da FARMÁFIA até aos 59 anos. Aos quarenta e... parecia um ciborgue... Conheço a medicina oficial, ela é uma farsa, uma fraude, e, dei alta à ela assim que conheci a Medicina Integral.
Há seis anos não compro um único remédio, não preciso tomar mais remédios, resgatei através desta medicina que NÃO VENDE REMÉDIO, E PORTANTO NÃO DÁ LUCRO À FARMÁFIA, e da minha limpeza incessante de programas e memórias, minha sanidade e liberdade de existir em paz. Simplesmente modificamos meus hábitos alimentares e minha maneira de aceitar pensar DOENÇA como um fato "verdadeiro" segundo a medicina oficial apregoa de acordo com o que lhe doutrina a FARMÁFIA. Passei a cuidar da saúde, que desde sempre todos temos e não sabemos, e não da "doença" que é o resultado do nosso PROVOCADO  desequilibrio vital.

Em tempo, quero dizer que, se você que está lendo "é médico", o seu "conhecimento" da verdade é relativo e não  pode excluir o conhecimento da "verdade" do dito "paciente", por mais ignorante em medicina que ele seja e por mais "doutor" que você se intitule.

A "medicina oficial" quase me matou. Ela olha o ser humano em frações. Dividir, fracionar a unidade, desagregar o todo, tudo fratricidamente. Esta é a meta milenar do escravismo para sua permanente manutenção. Infelizmente, meu filho mais velho que era médico não teve a mesma sorte, pois acreditou em "inverdades" doutrinadas pela mesma FARMÁFIA que doutrina igualmente a todos nas "faculdades" onde aos que a ela recorrem, cheios de idealismo (ou não), ali são mecanicamente transformados em seus garotos propaganda e repetidores de "procedimentos obrigatórios". E a mãe dele, filha de médico, hoje está demente...

Afirmo; aos 63 anos de idade, que ninguém precisa ficar doente, de nada, a doença é o resultado de um estado global emocional desequilibrado por crenças doutrinadas em memórias e programas ancestrais se repetindo de geração em geração na forma de irreais oficiais conflitantes paradigmas.
 

O Sistema, ô corja, cuida bem do o irônico detalhe "humanista". Pergunte ao povo do Haití o que ele acha da "ajuda humanitária" internacional que o sistema alardeia oferecer aos seus infantilizados senzalados. 

Fico por aqui. O resto é com vocês e a urgente necessidade de conectar os pontos dentro deste labirinto propositalmente engendrado para nossa permanente estúpida servidão. 

Lembrete:Sua identificação com memórias e programas (cavalos de Tróia) ditatoriais de "autoridades em geral", "especialistas" e "autoridades médicas" são muito importantes para você? Cuidado, elas não lhe permitirão compreender o outro e os pontos de vista de outra verdade que não a sua. Isto é um programaa, instalado e mantido pela MIDIOCRACIA para que você não veja o doloso "LOB" FARMAFIOSO junto aos "profissionais" da "medicina" e profissionais da governação do mundo
 

Sinto muito, sou grato.

Parte da matéria
7 de janeiro de 2011 às 20:55
Heloisa Villela: Remédio para TDAH ajuda crianças ou escolas?
por Heloisa Villela, em Washington
Via VIOMUNDO.COM
(...) Não vou me alongar, ainda mais, nas constatações a respeito de todas as doenças mentais, diagnósticos e tratamentos. Me concentro na TDAH que é o capítulo mais curto do livro e o que mais me interessa. Ao analisar o que está acontecendo com essa nova síndrome, o escritor encontrou muitas semelhanças com o desenvolvimento do diagnóstico de outras doenças e, principalmente, com a dinâmica do tratamento, o trabalho conjunto dos psiquiatras (americanos em geral) e da indústria farmacêutica para promover  a medicação como única saída. Me preocupa ver o poder financeiro que essas empresas têm associado ao respeito e à reverência que normalmente emprestamos a todos os profissionais da área médica e o pragmatismo da sociedade americana que quer sempre respostas rápidas e objetivas para tudo.

Voltando a TDAH. Estamos falando em medicar e alterar, talvez para sempre, a química do cérebro de crianças de 6, 7 ou 8 anos de idade. E pior, sem saber exatamente o que está sendo alterado! Os mesmos psiquiatras, que receitam os remédios, não sabem dizer quais serão as consequências na vida daquele paciente mirim, dentro de 12, 15 ou 20 anos. Mas ressaltam que tudo é uma questão de custo/benefício. “Não é melhor a criança conseguir se concentrar para assistir aula e fazer os deveres?”, costumam perguntar. Uma amiga minha ouviu o seguinte: “Você não quer que o ambiente, na sua casa, se torne mais tranquilo?” Mãe de quatro filhos, o mais velho com 9 anos, ela garantiu que não. Se estivesse procurando sossego, não teria uma prole tão vasta.

Se os psiquiatras não sabem dizer o que vai acontecer com as crianças medicadas, as estatísticas já dão motivo de sobra para preocupação. Os estimulantes  usados para tratar a TDAH (ritalina e seus derivados) provocam uma montanha-russa diária nos sentimentos da criança. Ela sente o coração apressado pela manhã, depois de tomar o remédio. Algo estranho se passando por dentro do corpo, que deixa a criança quieta, calada e atenta. No fim do dia, normalmente, existe uma explosão de raiva, choro. É como diz o Whitaker: “Toda criança, sob o efeito de estimulantes, se torna um pouco bipolar”.(...)
P.s destaque1.
Vale muito entre outros, ler o comentário de Aline C Pavia lá neste post no VIOMUNDO onde deixei a seguinte mensagem: "Cara Aline, seu texto foi um ar puro que me possibilitou respirar profundo, tenho certeza que não só ELE há de querer como JÁ QUER. Longa vida com saúde, prosperidade e paz. Sou grato.


Não saia deste "cinema" sem ver mais este filme.


P.s destaque 2.
Vale a pena ver também, desde o começo, o esforço do (médico) NELSON NISENBAUM defendendo  com unhas e dentes a sua estimada doutrinadora farmáfia em seus comentários.  Final do nosso "parco" diálogo neste domingo: 

"Lamento que você tenha sido mal cuidado. Só não denigra a Medicina por causa das suas más escolhas. Se você foi ao Rio de Janeiro e só visitou as favela, não diga que o Rio de Janeiro é ruim. Da próxima vez, visite Ipanema. 

"acho que escrevi "favela" no lugar de "favelas", corrijam por favor.
Minha resposta:
"O pior cego é o que não quer ver e o melhor escravo é o que se julga liberto. Achei por bem voltar, inda que a contra gosto, apenas por honra dos favelados (senzalados) que afinal somos todos nós.
Pois é DOUTOR, vê-se aqui em suas palavras ditatoriais e "elitistas", típica ideologia DOS DA CASA GRANDE, o que sempre digo sobre este sistema escravagista vigente só aqui no Brasil há 510 anos, do qual a SUA doutrinadora FARMÁFIA é entusiasta mantenedora e inclusive das favelas sem qualquer "poder de escolhas", sentinas senzalas de onde aufere inumano abjeto lucro sob a falácia de humanitarismo. MEDICINA é água de outros potes. Sinto muito, sou grato.

Então quando digo que o 4º REICH está aí, avançando sobre nós com seus coturnos ao passo de ganso acelerado, dizem que estou ficando louco e que sou "terrorista". Terrorista? Quem?  Eu?
 A humanidade está numa prisão, um campo de concentração com direito a algumas inúteis bugigangas estupidificantes, muitos estupefacientes para demenciar e infinitas telas de televisão. Estão construindo uma "Guantanamo" planetária... pesquise no blogue sobre a FARMÁFIA.




Postagens relacionadas à esta :
http://infinitoaldoluiz.blogspot.com/2010/09/dr-john-rengen-virapen-1-de-3.html
http://infinitoaldoluiz.blogspot.com/2010/12/todos-nos-defendemos-o-sus.html
http://infinitoaldoluiz.blogspot.com/2010/06/bigpharmafarmafia-exposta-como-os.html
http://infinitoaldoluiz.blogspot.com/2010/03/viomundo-se-afobou-e-defendeu-farmafia.html

4 comentários:

  1. Interessante post, Aldo. Não sei se já teve a oportunidade de assistir a esse documentário sobre a Psiquiatria:

    La Psiquiatria, Industria de la Muerte (documental)

    http://zequinhabarreto.org.br/?p=11325

    Vale para reflexão.

    Crispassos

    ResponderExcluir
  2. Agora vejo que é o mesmo documentário, porém, o que sugeri está em espanhol.

    Cris

    ResponderExcluir
  3. Aldo, assino embaixo, nem preciso dizer, né?

    Desde os 17 anos me trato com homeopatia, lá se vão 26 anos! Em 2009, quando fui atropelada pelos transtornos de ansiedade, os colegas de trabalho repetiam "agora vc vai precisa da medicina de verdade" (como se a homeopatia fosse de mentira) Foram dois anos difíceis, sem dúvida! Mas aqui estou eu! :-) Me cuidei com homeopatia, acupuntura, terapia craniossacral e em casa faço Reiki antes de dormir, medito e faço algumas posturas de yoga. Isso sem falar do Ho'oponopono que sempre ajudou tanto.

    Tenho certeza que estou me encaminhando para a cura total que é, na verdade, a desprogramação de tudo de errado (pensar errado, reagir errado, sentir errado). Se tivesse entrado nos remédios de tarja preta, poderia ter ficado sem os sintomas mais rapidamente, mas dependeria deles para sempre e não teria encontrado em mim a origem de tudo.

    Mas como é difícil explicar isso para as pessoas!

    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Cris e Cacau, grato pela presença sempre estimulante e saibam que este assunto ainda vai dar "muito pano para manga", rsrsrsrs... Conto com vocês, as mãos estão dadas... Sou grato.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails