O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quarta-feira, 30 de maio de 2012

POR QUE NÃO COMO SOJA DE JEITO ALGUM?


"O que mais preocupa 

é justamente a exposição crônica 

aos agrotóxicos"

29 de maio de 2012

Por Cida de Oliveira
Da Revista Retratos do Brasil


Durante muito tempo, uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e cereais era garantia de saúde porque suas vitaminas, minerais, fibras e proteínas são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Mas essa opção já não é tão saudável. Agroquímicos largamente usados para compensar a terra maltratada e exaurida e para matar ervas daninhas e insetos, sob pretexto de aumentar a produção, permanecem nos alimentos e causam uma série de doenças. Estudos científicos, inclusive dos próprios fabricantes durante o desenvolvimento dos produtos, constatam prejuízos à saúde.
Em Primavera do Leste (MT), trator faz pulverização da soja

A pesquisadora Raquel Rigotto, professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará, conta que há intoxicações agudas que surgem logo após as pulverizações, sinalizadas por dor de cabeça, náusea, alergia, ardor na pele, no nariz e até convulsões, coma e morte. E há os efeitos crônicos pelo acúmulo de veneno no organismo, afetando quem planta e quem consome. “Causam alterações hormonais, no fígado e rins, abortos, malformações congênitas, câncer de tireoide, de mama, leucemia, distúrbios cerebrais e comportamentais, como tentativas de suicídio”, esclarece Raquel, que estuda os impactos das pulverizações aéreas na região da chapada do Apodi, no Ceará. Há aumento de casos de câncer, mas a pesquisadora diz que a subnotificação esconde os números reais. Existe ainda o potencial agravamento dos problemas de saúde devido a mistura de ingredientes ativos, dosagens maiores e as aplicações seguidas para compensar a resistência das plantas aos componentes.
CONTINUE LENDO AQUI

Para a agrônoma Nívia Regina da Silva, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), é possível alimentar toda a população sem agrotóxicos. Isso, porém, exige mudanças no campo, hoje marcado pela concentração de terra, monocultura de produtos para exportação e uso de sementes modificadas, fertilizantes e pesticidas. “A luta do pequeno agricultor, que realmente produz alimentos, é enorme. Ele é obrigado a comprar sementes que não brotam, que exigem a presença de agroquímicos, os quais, por sua vez, exigem sementes melhores. É um círculo vicioso. Se não mudarmos essa forma de produção, teremos um país doente.”


Podem ler também 
http://soubem.forumais.com/t282-soja-prejudicial-a-sua-saude
 e
 http://www.arzt.com.br/informacoes/mandamentos-da-boa-alimentacao

3 comentários:

  1. E concordo sem problemas: a soja foi banida da minha mesa também.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Ei Aldo! Ainda bem que há pequenos produtores organizados em cooperativas que estão preservando as sementes crioulas. E se as grandes corporações do agronegócio continuarem a forçar a migração do homem do campo para as cidades não teremos um, mas dois problemas. São os pequenos produtores os grandes HERÓIS DA RESISTÊNCIA. E o futuro da nossa espécie depende disso: banir esses "venenos pestilentos" (pleonasmo, eu sei) de nossas mesas. Abração!

    ResponderExcluir
  3. Max e Fernando, estou honrado com suas presenças.
    O fato mais terrível é que toda esta articulação mundial com o pomposo nome de "AGROBUSINESS", É UMA ENTRE TANTAS OUTRAS ARMAÇÕES PARA O CONTROLE POPULACIONAL DA HUMANIDADE.

    Muito em breve, infelizmente, a depopulação mundial, com a subserviência de títeres escravos nas poltronas dos governos do mundo, todos, dos que sobrarem, estaremos confinados nas cidades grandes, com alguns perdidos na periferia, e só os escravos chipados comerão a ração com nutrientes mínimos (codex alimentarius) para continuar oferecendo sua força de trabalho.
    Todo este crime de lesa humanidade sempre me trás a lembrança uma frase do Fidel castro lá pelo começo da revolução: "Se não temos manteiga não comemos manteiga. Porém, os verdugos tem que morrer!"

    Sinto muito, sou grato.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails