O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

ARMA DE DESTRUIÇÃO EM MASSA ... Memórias que compartilhamos - V


Robert Payne, um autor inglês, publicou, em 1951, o livro intitulado Zero, The Story of Terrorism, no qual relata a existência de dirigentes ocultos que, à sombra de governos visíveis, manejavam essa terrível arma do terrorismo, sobrepujando até os poderosos grupos econômicos, cujo papel secundário limitava-se ao financiamento. Fatos estranhos passaram a acontecer após a publicação do livro, desde a compra de todos os estoques disponíveis por misteriosos emissários, até a quase falência da Wingate , uma das sólidas editoras no mercado londrino e, finalmente, a morte inexplicável do autor, alguns meses depois.

A maior parte da humanidade está em transe hipnótico prisioneiro diante dos aparelhos de TV,a mais poderosa arma midiática de extermínio em massa. Zumbis ávidos de Hollywoodianas notícias terroristas que alimentam a histeria coletiva programada pelo poder dominador dessa elite nazi/fascista auto denominada "nova ordem mundial" que volta a assolar o planeta.

O sistema usa o homem para o seu bem e não para o bem da humanidade.

Nascidos em frente aos aparelhos de TV, não nos damos conta do quanto estamos inertes ouvindo repetitivamente robóticos circunspectos senhores engravatados. Repetidores de falsas mensagens alienígenas e alienantes, ficamos ali anestesiados e crédulos de que esta catástrofe que se abate sobre nós é verdadeira e natural. Repetem à exaustão o que lhes ordenam dizer pelo "tele-pronto". Estamos subjugados e não nos damos conta pela constante repetição das dolosas inverdades aterrorizadoras.
Lavagem cerebral é o que fazem os governos cúmplices dessa rede de intrigas através de suas blindadas mídias.
Paralisados, acreditamos em tudo, derretimento de geleiras, escassez de água, escassez de tudo, aquecimento global nem supondo que o HAARP está em plena atividade causando toda essa mistificação preparando o terreno para mais uma mentira tipo o 911 e um monte de mentiras que repetidas mil vezes vão se tornando "verdadeiras".


David Icke: “Most of humanity is in an absolute hypnotic trance that they’re put in from cradle to grave by constant repetition of a fake reality and when we wake up from this we will not be subservient.”

Jordan Maxwell: “The bottom line is that the government is getting what they ordered. They do not want your children to be educated. They do not want you to think too much. That is why our country and our world has become so proliferated with entertainments, mass media, television shows, amusement parks, drugs, alcohol, and every kind of entertainment to keep the human mind entertained so that you don’t get in the way of important people by doing too much thinking. You better wake up and understand that there are people who are guiding your life and you don’t even know it.”

Steven Jacobson: “Television is the most powerful weapon of psychological warfare in history. The programming that we are constantly assaulted by throughout our lives conditions us. It programs us to a particular worldview. Now, we may consider it normal because we were born into this system of lies and deception. And because we were born into this situation and our parents were born into it and have suffered from it, we don’t know any better.”

Aldous Huxley: “What I may call the messages of Brave New World, but it is possible to make people contented with their servitude. I think this can be done. I think it has been done in the past. I think it could be done even more effectively now because you can provide them with bread and circuses and you can provide them with endless amounts of distractions and propaganda.”

George Carlin: “But there’s a reason, there’s a reason. There’s a reason for this. There’s a reason education sucks and its the same reason it will never ever ever be fixed. Its never gonna get any better, don’t look for it. Be happy with what you got, because the owners of this country don’t want that. They don’t want a population of citizens capable of critical thinking. They don’t want well informed, well educated people capable of critical thinking. They’re not interested in that.”

Howard Beale: “We know things are bad, worse than bad. They’re crazy. Its like everything everywhere is going crazy so we don’t go out anymore. We sit in the house and slowly the world were living in is getting smaller and all we say is please at least leave us alone in our living rooms. Let me have my toaster and my TV and my steel belted radios and I wont say anything, just leave us alone. Well I’m not going to leave you alone. I want you to get mad! I want you to get up now. I want all of you to get up out of your chairs. I want you to get up right now and go to the window, open it and stick your head out and yell, I’m as mad as hell and I’m not going to take this anymore! You’ve got to say, Im a human being God damn it, my life has value!”

(...)Ameaça e antídoto: A mídia terrorista tem atingido parcialmente seu intento. Tem imobilizado empreendedores, motivado demissões preventivas, interrompido projetos e assustado o consumidor.
O terrorista midiático cria, portanto, um processo de paranóia coletiva, que pouco a pouco, em efeito dominó, derruba o complexo sistema de trocas econômicas.
Em nome de objetivos egoístas e mesquinhos, politicamente particulares, a mídia terrorista está sufocando seu mercado, destruindo seu negócio e assassinando o seu sonho.
O terrorista midiático nunca tem nada a perder. Mercenário de carteira assinada ou free-lancer, ele está sempre seguro. E frequentemente seus atos de sabotagem lhe rendem generosíssimas gratificações.
Em suas linhas de retaguarda, alinham-se os cavaleiros do apocalipse, como os publicitários nizânicos e certa malta de economistas uspeanos.
Estes últimos, em suas pavoneações de rádio, atemorizam sistematicamente o cidadão.
-- Não comprem. Não comprem. Não gastem dinheiro algum – ordenam, do alto da cátedra.
Essa, pois, é a receita para que o próprio cidadão, mais à frente, perca o emprego.
Um hipotético trabalhador da indústria da informática foge da sorveteria que tanto aprecia. Com a queda na demanda, a dona da sorveteria deixa de ir à cabeleireira, a cabeleireira desiste de adquirir cosméticos, a fábrica de cosméticos demite 20% de sua mão-de-obra, as demitidas adiam o projeto de comprar um computador. E, pronto, o previdente ouvinte de rádio, trabalhador da indústria da informática, está na rua.
Sem invencionices, essa é a dinâmica das relações econômicas na sociedade.
E é nessa perversa reação em cadeia que o terrorista midiático aposta todos os dias.
Ele conspira para destruir seu negócio, para roubar o emprego de seus clientes e consumidores. Enfim, ele pretende criar dificuldades para você e para sua família.
Em épocas de crise, os ousados e confiantes prosperam. Quando a fumaça se dissipa, estão fortalecidos, à frente na disputa concorrencial. Aproveite a oportunidade. Valorize e recicle sua equipe. Descubra novos nichos de mercado. Qualifique seus produtos e serviços.
Quanto aos terroristas, tome uma atitude. Interrompa imediatamente a publicação de anúncios nas redes da mídia terrorista. Suspenda já a assinatura dos veículos de comunicação dedicados a destruir seu negócio.
Xô, terrorismo! Não deixe a crise entrar na sua empresa nem na sua casa.
Mauro Carrara é jornalista e consultor internacional em assuntos de cooperação econômica estratégica...

"Onde a mudança de planos será decidida, não será um lugar físico; será na consciência de todos nós. O que nós precisamos fazer não é acumular armas, estocar alimento e adotar um modo de sobrevivência; nós precisamos é pegar de volta o controle de nossas mentes! Isso é o que nós precisamos fazer." D.I.
 
O fato é... Lixo imensurável milenarmente ancestral para limpar, o que precisamos é limpeza permanente dentro de nós, permanecer em nossa limpeza incessante do nosso escravizado caótico subconsciente. 

Não há nada lá fora! Tudo está e é ressonante em mim e igualmente no outro, e o mais importante; nós somos 100% responsáveis pelas escolhas quantico ressonantes que fazemos em nossa vida. Estas frequências de ondas eletromagnéticas nesta experiência, essa existencia cósmica, infinita ressonância...

Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato! A Paz do Ser para todos nós agora, para sempre e eternamente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails