O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Em nome do medo


Finalmente estamos vivendo "a tal", a escravagista, república de Platão... 

Exclui os filósofos e os artistas enquanto enaltece os militares. Lugar de mulher é na cozinha. O argumento ditatorial dele entre outros é não poder governa-se com a existência dos primeiros. Talvez por isto tenha deixado seu testemunho sobre o imortal Sócrates.

Dessa forma, olhando as humanistas "utopias" dos anônimos e dos notórios, lembro que concluí recentemente, nua e crua/mente: todas as utopias humanitárias são concessões táticas dentro da milenar estratégia escravagista.
 
Liberdade é sermos 100% responsáveis por tudo o que está em nossas vidas de crenças e escolhas. Responsavelmente Livre. Não há nada de errado com este planeta, o problema está em nossos egos imundos de criptografados programas escravistas em nome do medo de ser.

Todos os índios continuam sendo descaradamente exterminados. São os primeiros na lista dos infinitos genocidas no poder em todas as épocas.

Sinto muito, sou grato.

Por estas e outras é que a holly/wood é tão importante, mundialmente. Uma espécie de parasita, de carrapatos nos cérebros. "Investe" zibilhões de dólares com sua varinha mágica e expõe toda sorte de vícios e banalizada violência, desde os tres patetas aos infinitos "filmes" de "ação", guerra e horror, medo e tortura, o eterno drama dos crimes de matar/matar como "A" natureza humana. O permanente tom e jerry e "woodpiquers" vaqueiros matadores de terríveis fedorentos índios e a naturalidade na exploração do homem pelo homem e "seus" animais...
 

Até que um dia, as vacinadas novas autistas gerações, adorarão e morrerão de rir quando um TREINADÍSSIMO "policial" psicopata, com "toda a naturalidade", dá um banho com "spray" de pimenta na cara da vizinha, a mãe do "amiguinho" da casa ao lado. Rirá também quando a mãe torturada e banhada de pimenta for a sua, ou a dele mesmo.
 

Os "adoradores" de crianças ao serviço do escravagismo, hoje, possuem todo o domínio técnico muito aquém e além da televisão e os inacreditáveis haarps... Graças a milenar e "divina lei" do mais forte. Vencerá esta terceira guerra mundial o mais boçal possuidor do domínio sobra a informática. A galé contemporânea.
 

E nós aqui, entre os sete bilhões (sobre)vivendo do improviso, enquanto DRONES escravagistas sobrevoam nossas cabeças, fazemos coro orquestrado com os manipulados protestos, os mesmos que destroem Grécias e autorizam a destruição e saque de todas as Líbias.

Você é infinito e está em expansão. Cuida bem de você e ajuda alguém mais...

14 comentários:

  1. Olá Aldo, meu querido Infinito amigo e Guardião,

    Seguimos o mesmo caminho da antiga Grécia, a decadência completa no campo moral e ético.

    Sócrates, filósofo ateniense, foi obrigado a beber veneno (cicuta) por discordar da pederastia e decadência dos costumes vigentes na antiga Grécia.


    'Do julgamento à morte
    "Eu predigo-vos portanto, a vós juízes, que me fazeis morrer, que tereis de sofrer, logo após a minha morte, um castigo muito mais penoso, por Zeus, que aquele que me infligis matando-me. Acabais de condenar-me na esperança de ficardes livres de dar contas da vossas vida; ora é exatamente o contrário que vos acontecerá, asseguro-vos (...) Pois se vós pensardes que matando as pessoas, impedireis que vos reprovem por viverem mal, estais em erro. Esta forma de se desembaraçarem daqueles que criticam não é nem muito eficaz nem muito honrosa."16 Sócrates'

    Quanto aos índios, meu querido amigo, chamam-me nazi por eu atacar os misóginos judeus, coitaditos, foram exterminados 6 milhões(?!) mas ninguém se refere aos 19 milhões de índios exterminados SÓ na América do Norte!!!
    No entanto sou nazi e louca, porque defendo antigos Valores!...

    Um abraço envolto em pétalas de rosas... e força aí na sua luta, corajoso Aldo.

    ResponderExcluir
  2. Minha querida infinita Fada, você é bênção e suas pétalas de rosas brancas em abraços são balsamo.

    Minha gratidão pelo seu amor, força e confiança.

    ResponderExcluir
  3. Caro Aldo Luiz,
    A razão da matança indígena é a bastardização das raças, os judeus garantem assim que os outros povos ficarão lixos, e assim, com o racismo e proibição de mistura de judeus, eles acreditam que os outros bastardizados serão inferiores a eles finalmente!
    Ledo engano!! Afinal eles são os filhotes de deus, o misógino sádico e pederasta divino!
    Quando a pederastia vira normalidade, é sinal de que a raça acabou!!

    ResponderExcluir
  4. Vaperíssimo Amigo Infinito,

    Ainda bem que completou o meu comentário... agora sim, faz todo o sentido. Ai das raças puras, ou de líderes carismáticos que as queiram preservar...

    Um abração

    ResponderExcluir
  5. O Plano Andinia

    O novo estado judaico na America do Sul

    Na França, em 1882, publicou-se o livro Auto-Emancipação, de Leon Pinsker, judeu nascido em Odessa (Rússia), que concebia o plano de criar dois Estados judaicos, um na América e outro na Palestina. O primeiro preferentemente na Argentina. Este plano, que naquela época não foi mais que um sonho (em aparência), foi o ponto de partida de uma realidade assombrosa, que foi se incrementando paulatina mas inexoravelmente até nossos dias.
    Assim, vemos a nova atualização do plano de Pinsker na página 398 do livro História e Destino dos Judeus , do Dr. Josef Kastein, que transcrita diz : "... Pinsker propõe aos judeus voltar a infundir uma realidade em sua vida de aparência, na Palestina e na América - um centro novo. Fixa sua atenção em dois países: Argentina, como país das possibilidades práticas, e Palestina, no das possibilidades ideais. "
    Acesso ao pdf:

    http://www.vho.org/aaargh/port/port.html

    Veremos se será a Argentina ou Brasil. De qualquer forma, está aí a razão das localizações da Octirodae.

    ResponderExcluir
  6. Meus infinitos queridos Fada e Vapera, vocês me inspiram e obrigam respostas postagens. Aguardem-me :)
    Grato pelas presenças amigas e estimulantes. Recebam aquele meu \o/ aldíssimo abraço.

    ResponderExcluir
  7. Querido Aldo, para completar:

    A nova "guerra justa" aos índios

    "A crise da questão indígena nas últimas semanas ganhou ares dramáticos. Conflitos antigos estão pipocando por todas as partes do Brasil, do Sul à Amazônia. Seja onde se constrói Belo Monte, seja na futura usina São Luiz do Tapajós, seja em fazendas no Mato Grosso e no Mato Grosso do Sul, no Paraná, no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, no Pará, na Bahia, ou madeireiros em Rondônia e no sul do Amazonas.
    De repente todo o campo ganhou ares de fronteira, de velho oeste.
    Protestos de indígenas são seguidos por pistolagem, e a polícia agindo para "dispersar" convulsões sociais - agora os ruralistas também estão pedindo o exército.(...)

    (...)Quando Dilma convocou uma reunião para decidir o futuro dos índios em meio à atual crise, não convidou representantes dos povos indígenas, e nem mesmo a Funai.
    Dilma teria declarado querer que o índio tenha "autonomia econômica", algo que ressoa declarações da época da ditadura, como quando os militares tentaram impor aos xavantes o cultivo de arroz, que se revelou um desastre, econômico e social, ou impôs aos kayapo a extração predatória de madeira. Nas declarações que sucederam a reunião, não se falou de algo mais fundamental: a garantia dos direitos dos povos indígenas. Nem sequer apareceu termos como "etnodesenvolvimento" nas falas.
    Esse movimento anti-indígena cada vez mais ganha áreas de uma "guerra justa".
    Os índios são selvagenizados, desculturalizados, desterritorializados, desumanizados. Devem abrir caminho para a soja, a cana, o boi, e a energia hidrelétrica, sem opor resistência.
    Caso contrário, toda violência contra eles é justificada e respaldada pelo Estado. Contra o índio, é tolerado partir para cima. Como nas "guerras justas" nos tempos a colonização utilizadas como justificativa para a escravização dos índios – escravização que ainda é o provável destino dos índios nas lavouras de cana no Mato Grosso do Sul, como acontecia no Brasil colônia." Felipe Milanez
    No Carta Capital

    Tudo de bom para si,, meu corajoso Guerreiro. Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. Aldo... vejo irreais projeções. Vejo o injusto como sentença, a mentira tomada como verdade, o invertido consciente coletivo; vejo o pão e circo sendo espalhado nesta nossa senzala brasiliana.
    Mas... eu ainda me desepero Aldo; os new age, os universalistas, os espiritualistas apontam caminhos tão diversos pra fugir da senzala. Eu, que educado católicamente, me vi desde sempre envolto nesse oceano de mentiras preciso te perguntar Aldo: Existe um caminho, uma rota?

    ResponderExcluir
  9. Caro anônimo,

    Eu também estudei, muitos anos dos dez aos 15,o fim da infância e o começo da puberdade, com os beneditinos...

    A grande pergunta é: quem se desespera?

    Quem se desespera não é você. São (nossas) suas memórias compartilhadas com todos nós, universalmente. Programas que dizem; eu sou isso, eu sou aquilo. programas escravizantes no labirinto do nada construido com nossa ingênua credulidade na lisura e boas intenções da "tais" autoridades e especialistas.

    Gente como a gente, nem todos, mas, todos coniventes com os "sedutores" programas escravagistas de poder que também os escravizam enquanto subornam com riquezas vãs.

    Aguarde minha próxima postagem. Pesquise mais mensagens no blogue são sete por página. Vai rolando... Leia outras anteriores como http://infinitoaldoluiz.blogspot.com.br/2013/05/aos-visitantes-presentes-e-ausentes.html

    Fique em paz, não há nada errado com você. São só crenças e escolhas limitantes.

    Quem sou eu? É a eterna pergunta por respondermo-nos...

    Lembre-se que você é infinito, divino e perfeito em sua essência e que só precisamos limpar nosso caótico subconsciente para ficarmos em silêncio e ouvir a voz do criador de todas as coisas... Inspirações na paz e na luz de infinito amor. desligue sua televisão.

    Procure o silêncio da natureza e beba muita água solar azul. mantenhamo-nos em contato nesta caminhada infinita.

    Um aldíssimo luiz fraterno abraço e sempre gratidão por sua companheira confiança.

    ResponderExcluir
  10. Meus amigos me desculpem discordar sobre a questão indígena, pois a agenda internacional de “proteção aos índios” nada mais é que uma cortina para esconder as verdadeiras intenções sobre a América do Sul, nós bem sabemos disso, o que mais interessa são as riquezas minerais que estão no subsolo das “terras dos índios”.
    Não podemos esquecer que estes índios (mundurukus) que hoje estão lutando contra a Usina de Belo Monte são os mesmos que venderam por US$ 120 milhões os direitos sobre uma área com 16 vezes o tamanho da cidade de São Paulo em plena floresta amazônica para uma empresa estrangeira. Menos mal que a Advocacia Geral da União a tempo deu parecer contrário quanto à legalidade dos tais contratos de venda de créditos de carbono entre empresas estrangeiras e os “inocentes índios”.

    Um grande abraço meus amigos

    ResponderExcluir
  11. Caro Burgos, não creio que haja discordância. Não da minha parte. É fato; "a agenda internacional de “proteção aos índios” nada mais é que uma cortina para esconder as verdadeiras intenções sobre a América do Sul, nós bem sabemos disso, o que mais interessa são as riquezas minerais que estão no subsolo das “terras dos índios”.

    Somos todos índios senzalados há muitos 500 anos em crenças e escolhas escravagistas. Nada nos protege além de nossa nova parca luz sobre os fatos que constroem hoje o nosso programado tenebroso futuro.
    Somos todos descartáveis escravos DO SISTEMA, o qual nos induz, a todos, às crenças e escolhas erradas. O Brasil é e sempre foi sua, deles, a terra prometida.

    A massônica doutrina Monroe segue seus desígnios em sua milenar agenda para uma nova ordem mundial com a "nova" bandeira nazi/sionista. Novos termos para velhas filosofias e ideologias para o demoníaco império de mil anos... A inacreditável Guantánamo planetária.

    Sinto muito, sou grato. Estou feliz \o/ por você ter vindo nos visitar, Venha sempre, você é muito importante para todos nós.

    Um aldíssimo abraço; Toda PAZ e toda LUZ

    ResponderExcluir
  12. Aldo, Fada e Vapera

    Eu não sou contra os índios, muito pelo contrário acho que devem preservar suas culturas, mas sinceramente me respondam, ainda existe por parte dos índios brasileiros um preservamento de sua cultura indigena??? Ou todos se corromperam???

    Na minha visão uma minoría ainda tenta preservar alguma coisa, enquanto que a maioría deles opta por colaborar com as ONGs estrangeiras.

    É tanta mentira para mostrarem que os índios estão sendo oprimidos pelo governo, a mídia alardeando o "coitadinho do índio" que sofre por suas terras.

    E o mundo inteiro se vira para cá com compaixão por esses índios que nada mais fazem do que se vender para as ONGs.


    Um grande abraço meus amigos

    ResponderExcluir
  13. Querido Burgos,
    vejo a coisa toda do ponto de vista da falta de opção para as senzalas desde muito antes de Espártaco, e nem cogito de índios para citar o fracasso de qualquer projeto libertário dentro desta estreita nossa visão cartesiana.

    Estamos prisioneiros do infinito julgamento de quem é o culpado pelo leite derramado.

    Afirmo serem as utopias humanitárias concessões táticas dentro da religiosa milenar estratégia escravagista de todos os deuses em todas as épocas...

    Somos até aqui, os "túmulos caiados" (por "eles"), os escravagistas, com nossas programadas, na absoluta ignorância, (in)voluntariosas escravizadas mentes e mãos...

    Veja o que falei disso aqui - http://infinitoaldoluiz.blogspot.com.br/2013/05/como-anda-sua-inacreditavel-sanidade-o.html

    e citei este importantíssimo ponto de vista sobre o poder da corrupção inerente ao sistema sobre quem deve ser destruído:

    (...) "Mas para isso, teria de contar com a população nativa, que tinha até então manejado o país e conhecia seu funcionamento. E aqueles povos belicosos, que foram livres por séculos, não seriam facilmente reduzidos à escravidão, isso advertiam claramente os Bárcidas, a menos que seus próprios reis e senhores os convencessem de que era melhor não resistir à ocupação. A solução não era impossível, pois, segundo a particular filosofia dos cartagineses, “só deve ser destruído quem não pode ser comprado”. (Do livro* "O mistério de Belicena Villa.)

    Conclusão; "Eles" morrem de rir de nossa ingênua visão desse mundo que Eles criaram e gerenciam com maestria e o poder boçal do eterno terrorista; "Low talk and a big stick..."

    Mais velho que o próprio mundo que Eles saqueiam...

    Não há tribunal neste planeta que faça justiça aos senzalados. Todos, as leis e os juízes, são propriedade das casas grande.

    Fim de jogo... Eles se, e nos prepararam, nestes últimos 60 anos, para este xeque-mate.

    Em minha humilde opinião...

    A questão casa grande e senzala, agora, tem que ser revista fora do prisional labirinto do nada mental, físico e espiritual, com outro coração/pensamento que não o formatado por eles há milênios, e, sempre reprogramado em permanentes "up grades" a cada meio século ou um pouco mais.
    Perguntemos a rainha da Inglaterra e as outras cabeças coroadas. Lady Dy sabia tudo, ou quase tudo, sobre isso.

    Para "eles", somos todos inúteis e fedorentos índios. Sinto muito.

    Minha gratidão pelo seu amor, força e confiança em meus cabelos brancos.

    ResponderExcluir
  14. Caros,
    Acho que vale uma colocação além da brilhante explanação do Aldissimo.
    O que faz os índios serem "vendidos" é a imunda governança, e não os índios!!
    Os índios não tem porque serem nacionalistas, visto que o estado fossa só beneficia a turma do kipá e engana o resto!
    Acho até que todo "zé povinho" tinha que ser como os índios sem ideologias nacinalistas falsas que nada mais são do metodologias de controle, que para variar está nos narizes de kipá.
    Não podemos perdoar o estado latrina!!!
    Joguemos as TVs pela janela e de preferebncia na cabeça de um excremento governistas.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails