O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

sábado, 31 de julho de 2010

Paradoxo












Paradoxo

 Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos
 freqüentemente. Nós bebemos demais, gastamos sem critérios. Dirigimos
 rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde,
 acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV
 demais e raramente estamos com Deus.
 Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores.
Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos
 à nossa vida e não vida aos nossos anos.
 Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a
 rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas
 não o nosso próprio.
 Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores.
Limpamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo,
 mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos
 menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
 Construímos mais computadores para armazenar mais
 informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos
 comunicamos cada vez menos.
 Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta;
 do homem grande, de caráter pequeno; lucros acentuados e
 relações vazias.
 Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas
 chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral
 descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das
 pílulas 'mágicas'.
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na
 dispensa.
 Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas

 não estarão aqui para sempre.
 Lembre-se dar um abraço carinhoso em seus pais, num amigo,
 pois não lhe custa um centavo sequer.
 Lembre-se de dizer 'eu te amo' à sua companheira(o)  e às pessoas que ama,
mas, em primeiro lugar, se ame... se ame muito.
 Um beijo e um abraço curam a dor,quando vêm de lá de dentro.

Por isso, valorize sua familia,  seus amores, seus amigos,  a pessoa que lhe ama...
 E, aquelas que estão ao seu lado, sempre..!
sinto muito me perdoe te amo sou grato

Sou grato Andréa Palermo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails