O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Deus e o Diabo no planeta do salve-se quem puder.


O Eu, em si, não faz guerra. 

O viciado em guerra é o Ter egoico. 

Quem tem quer possuir. Mais. Tomar posse. Ter. Ser o dono do pedaço. Se apropria. É o Proprietário de um patri/monio. O pátrio poder. (patri - pater- pai.) O criador. O dono da(s) Terra(s). O dono do filho. Da filha. Da mãe. 

O patriarcalismo é sua crença de escolhas. A mente. O Ego. Ego/ismo/ista. Ego/latra. O Eu tenho; donde, eu sou. Possuo "bens"... Sou..., importante... Logo, existo (para possuir).

Qualquer ameça à esta person/lidade "proprietária" é um importante ato de guerra (não) declarado. Contra ela... Quem com ferro quente fere (quente do inferno) com ferro quente será ferido. É o esquiso-paranóide.

São esses os mesmos tais "camaradinhas" partidários do "olho por olho, dente por dente". 

Escravizam os derrotados após (e depois também) interminável inumanas humilhantes torturas. A frequência de onda de terror que emana dos seus torturados é seu principal alimento. 

As baixíssimas frequências geradas nas torturas são a fonte energética do seu congênito antropofágico escravismo.

Alimentam-se da energia negativa de toda e qualquer guerra e suas negativas frequências torturadoras do inefável escravagismo. Uma eventual briga de vizinhos, marido e mulher, qualquer disputa já é um quitute que pode virar banquete.

São os chamados de "os negativos". Tenebrosos. Campos minados. Legal/mente o sofrimento do outro é o seu "pão nosso (com filé mignon) de cada dia". Cruci/ficam. Desumanos e inumanos crucificam. Veneram "o demônio Bulling". Sacrificam tudo e todos.

Sacrificar: v.t. Oferecer em sacrifício, em holocausto à divindade; imolar.

A manutenção do olhar num corpo crucificado (nos acostumam com tudo) é um sofisticado treinamento de aceitação da banalização da(s) tortura(s).
(...) "Este processo é chamado de programação preditiva e sua finalidade é, literalmente, para programar a mente da vítima, de modo a aceitar sem questionar o que for necessário pelo programador - um exemplo; a ideia de ser microchipado em algum momento no futuro. 
A vítima é geralmente inconsciente de ser programada, acreditando que tudo isso é apenas entretenimento inofensivo. Por esta razão, pode ser uma arma potente e eficaz contra nós. 

Uma nuvem dessas vibrações negativas envolve o planeta. Todo dia, milenar/mente.

(A guerra na Síria já matou 215.518 pessoas, entre civis, militares, milicianos e rebeldes, desde seu início, em meados de março de 2011, segundo dados divulgados neste domingo pela ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos)


Nós os apoiamos desde quando entramos em qualquer tipo de competição. 

Os jogos de competição são a massiva doutrinação implícita (subconsciente) da filosofia escravista (inconsciente desde o berço ancestral). 

Para eles o ser humano (números em um computa/dor) só colabora quando em alguma (dolorosa) disputa pela posse de algo terreno. "Guardai os vosso tesouros no céu", para eles, os negativos, é uma piada idiota de inoportuno péssimo gosto. O cara que disse isso foi torturado até a morte.

Dualidade. "Tem que doer no bolso". Desprovidos de afeto, sem empatia, a preponderância da reptilianidade faz com que sejam egoístas, obsessiva/mente ciumentos, vingativos, arrogantes, psicopáticos tortura/dores, desumanos por natureza.

Inumanos. Visíveis e invisíveis. Parasitas de almas alimentando-se das mais baixas eletromagnéticas e desamorosas frequências cardíacas de seus escravizados.

Quem, em estado de afeto incondicional, poderia admitir-se tais comportamentos?


Já pararam e meditaram sobre a proposta; "amai os vossos inimigos"?

Mas... Quem são esses "vossos inimigos"? Não seriam esses inimigos nossas próprias idéias sobre o ter, tudo, de tudo em detrimento do Ser? Onde há amor (incondicional) não há perdão.

"Não cobiçar a mulher do próximo" também fala disso. Dessa nossa adicta cobiça para, então, em guerra permanente, sentirmo-nos vivos enquanto angustiados e temerosos idolatramos a morte.

Holocaustos. A religiosa filosofia madrasta. "Orai e vigiai" eles entendem por assistir televisão, vigiar o vizinho e falar (mal) dele. 

Encilhados pela deusa TV, a onipresente, somos "fofocantes" mortos vivos.

Zumbificados por infinitas permanentes guerras de extermínio e controle. Condenando-nos ao fogo eterno, fratricidas lavam nossos cérebros. Hipócritas antropofágicos, vivemos anestesiados pela banalização das guerras, qualquer tipo de guerra, desde o milenar ventre materno. Estamos delirantes. Inconscientes.

Ter é "poder". O sistema é: casa grande e senzala. Se Giordano Bruno estivesse aqui, hoje, em 2015, reafirmaria a sua convicta ideia de que "as igrejas não querem amor, querem poder." e, todos os reis também preferem guerras.


Ser é um outro poder.

Mais poderoso. Infinitamente vivo. O mais poderoso paradigma. Consciência, presença. O Amor incondicional é a finalidade na existência, o permanente treinamento. Árduo, inexorável, intransferível, conscientemente necessário. Inadiável. É o livre arbítrio dizendo ao que veio. É o caminho. São as escolhas guias, as finalmente lúcidas. Empáticas. (Empatia: capacidade de sentir o que outra pessoa sente em determinada situação. Saber colocar-se no lugar do outro.)

Para tal é preciso (ser) afeto; é preciso, para isso, o espírito divino e perfeito que somos todos, estar encarnado (unidade prisional temporária) como Ser Humano.

Inumano. Desumano. Humano.

Atrairemos para a nossa vida aquilo em que acreditamos profundamente. Somos o que não desejamos ser...

O medo terrorista resultante de nossa escravizada ignorância, é seu habitat. E, sua mais poderosa reptiliana arma; a guerra contra as guerras.

O estado do Ser determina a circunstancia. E as circunstancias são as formas físicas expressando nosso estado de Ser. 

Quanto mais só reconhecemos o que sabemos, mais egoístas somos, maior é nossa incompreensão da inconsciência de nossa (milenar) escravização. E, mais apegados (viciados) ficamos ao que chamamos de "zona de conforto" do labirinto do nada da inconsciência do ego fratricida, a zona ideal dos escravistas. 

Caprichemos na faxina. 
A hora é esta.
Sacode aí!

Thank you, folks!



P.S.:
Cada um com seu cada qual; não me conformo com o fato de o João Bosco, ao final, não ter trazido e agradecido aos seus (formidáveis) músicos no palco. 
Sou grato pelas suas presenças neste 2015.

Inté!

3 comentários:

  1. Oi Aldíssimo, queridíssimo

    Sou grata pela tua presença nessa Terra de experiências extasiantes. Te amo, sou grata.
    Os patriarcas rabiam por todos os lados. É o marxismo cultural, dizem uns. Outros dizem que tudo é farsa. Enfim, deixá-los que com tolos, nm para o Céu. A Ordem vai mudar, quer queiram, quer não. Entretanto a falsa deusa faz sucesso. Nem imagina o espanto de todos quando digo que não tenho televisão e que nunca precisei dela. Pois é.... Como sempre disse, Liberdade implica Vigilância e quem não está vigilante se acha o maior. Tudo ficção, dizem. Pois é talvez falta de imaginação. Há quem imagine por eles... consegue imaginar isso, Aldo?

    " Se Giordano Bruno estivesse aqui, hoje, em 2015" diz você.. mas ele está!! e muitos mais! :)

    Um terno abraço luminoso, companheiro de caminhada.
    Sou grata

    ResponderExcluir
  2. Aldíssimo,

    Esqueci... A foto das cenouras... sem palavras! Obrigada! :))

    Eterna gratidão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um (e)terno abraço luminoso, companheira de caminhada.
      Sou grato.

      Excluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails