O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Reflexões sobre as artérias abertas da América Latina e alhures.



O Brasil é o melhor do terráqueo docinho de coco... 
Estou neste planeta há bem mais de meio século conforme o calendário oficial e afirmo que idade cronológica conta pouco na avaliação de um programa repetitivo das mesmas ancestrais memórias escravizantes. 

Comprovante de pessoa física, o famoso CPF, como identidade, não é nada além de nosso número invisivelmente digitalizado no tatuado ante braço da senzala global.


Precisa de legenda?
Idade biológica são outros quinhentos...

Livre arbítrio, quase uma quimera, é o saber escolher o como sobreviver no lixo descartável em que transformaram a humanidade.
Para SER HUMANO é preciso ter consciência. A maioria de nós está inconsciente, escravizados roboticamente inconscientes. 

Casa grande e senzala. Este programa "auto run", criptografado em nossos subconscientes, milenar e antropofagicamente renovado em embalagens coloridas pela casa grande sempre zelosa de seus negócios escravagistas. "Time is money, the show mus goes on."

Sou leitor de primeira edição de "As veias abertas da América latina". Onde a verdadeira dura realidade é ter que concordar com ela, a dura realidade. 

Principalmente quando não se é mais tão jovem, reflexões sobre as varizes e artérias abertas da América "latrina" e alhures, nem é, e nunca será, uma mera questão de "direita" ou "esquerda". 

Tempo é dinheiro e o show vai, tem que, continuar. Esse é um dos "games" de sucesso (verdadeira religião) para enrolar as massas idiotizadas até a medula enquanto a casa grande faz o controle do estoque. 

São "500 anos de uma história suja e esquecida." Casa grande e senzala. O lixo milenar sempre em nova embalagem. A Nova ordem mundial, eufemismo em estado avançado de implantação. Guantánamo planetária. 4º Reich nazi sionista para os mais despertos... 

Pior do que isso (?) é a  desconhecida, encoberta e manipulada história ao abrigo de nossa planejada autofágica deficiência cognitiva enquanto “Os técnicos do FMI e do Banco Mundial é que tratam de atualizá-la constantemente” por força das políticas predatórias que continuam a sugar parcela considerável da seiva vital da América Latina. 
“As veias abertas da América Latina” expõe, numa prosa vertiginosa - que combina reportagem, crônica e pesquisa historiográfica -, 500 anos de uma história suja e esquecida. É a trajetória dos vencidos, desde a Terra do Fogo até a fronteira norte-americana, que passa pela derrocada inca, pelas minas de Potosí, lendas da Cordilheira, construtores maias de Palenque, sertanejos famélicos. Porsudacas, chicanos, brazucas, micróbios e cucarachas que formam povos inteiros. 
O impacto do livro foi imediato. Edições sucessivas venderam como pão quente em diversos países. Embora seu autor não goste de ser lembrado apenas por “Veias abertas”, o certo é que a obra continua espantosamente atual. Hoje, aos 57 anos, e quase duas dezenas de outros livros, o jornalista Eduardo Hughes Galeano, depois de dois exílios, ironiza a contemporaneidade de sua obra. “Os técnicos do FMI e do Banco Mundial é que tratam de atualizá-la constantemente” por força das políticas predatórias que continuam a sugar parcela considerável da seiva vital da América Latina.
Escrevendo para várias publicações europeias e americanas – entre elas a revista Atenção! – Galeano vive novamente em Montevidéu. Lá concedeu essa entrevista, na qual confirma sua prosa afiada, tendo como alvo predileto os novos arautos da liberalidade econômica, que só inovam as práticas de Pizarro por terem à mão celular e laptop, conectados às cortes financeiras que dominam este lado do mundo. (fonte)



Acha que já está preparado?
Inté!
Grato pela visita.

2 comentários:

  1. Aldo,

    Infelizmente, Eduardo Galeano já não mais faz parte da nossa realidade. Ele saiu desta existência, no dia 13 de abril de 2015.

    É a ENERGIA NATURAL tirando a nossa ENERGIA não NATURAL.

    Por isso devemos COMPREENDER o ESPÍRITO que há dentro de cada coisa e SER nesta realidade que vivemos.

    Não queira INFORMAR, apenas queira ser INFORMADO sobre a sua INFORMAÇÃO de percepção do MUNDO que és.

    Namastê!

    ResponderExcluir
  2. Gratidão ! Onde a verdadeira dura realidade é ter que concordar com ela, a dura realidade."Não queira INFORMAR, apenas queira ser INFORMADO sobre a sua INFORMAÇÃO de percepção do MUNDO que és." O brejo foi pro brejo; ia fotografar isso. Pensei que não devia. Só existe o agora que acabou de ir e já está de volta. O restante que a mente alimenta, não existe. Até pode, nunca ter existido... Escolhas, pré e pós engendradas pelo MUNDO QUE SOU. sOU GRATO aNJJOS, NUNCA SE VÁ.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails