O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Eu não acredito em livre arbítrio...


O livre arbitrio visto do alto.
Eu não acredito em livre arbítrio por que ele não existe... Sei que não é simples assim... Mas, é assim que é!

E ponto final? Talvez, depende das escolhas... Depende das crenças... Depende do depende... Então cadê o livre arbítrio, o "free will"?

Quando o caminho está claro não há escolhas.

Dependemos de escolhas. Das mais espertas às mais idiotas. Há milênios... Muitos são os aparentes caminhos traçados nas induzidas escolhas neste labirinto do nada que nos levam ao mesmo recomeçar o mais do mesmo... É uma montanha russa que depois de muitas emocionadas voltas passa e repassa pelo mesmo lugar. O homem nunca mais foi a lua, deu por visto o que ninguém nunca viu. Fincar bandeira é uma. Escolheu mudar de brincadeira.

As escolhas são nossas memórias se repetindo infinitamente. A televisão entulha a mente embotada de bananas e pra frente brasil salve a seleção. Perguntem aos sumo sacerdotes... Ancestralmente inoculadas(os) em nossos subconsciente, não para um "free will" qualquer, mas, para um "free will" bem determinado e muito bem condicionado pelo sumo da casa grande na sacerdotal formatação das "n" senzalas, imundos em mundos universos afora. Piada? A justiça é feita de leis injustas. 

Só podemos escolher entre tudo o que vemos, ou supomos ver e ouvimos ou compreender o que sentimos sem clareza. Uma criança tem "free will" para escolher entre peito, mamadeira e chupeta? O negócio Mãe é um grande fornecedor de nutrientes lácteos, sem rótulo ou marca registrada, nem prazo de validade e comprovação científica como exigem da auto-hemoterapia os canalhas hipócritas far mafiosos vendedores dos remédios dos remédios infinitos. Vacinas são excelente meio para depopulação disse Bill Gates... E ninguém diz nada?

Mansões e piscinas navegando aviões, iates e carrões. Abduzidos e desconectados. Desta vez sumiram com piloto e avião... Autofágica Geia.

Cinco sentidos e três dimensões drogadas até a alma. Muito mixuruca esta ideia de livre escolha condicionada ao que nos permite continuar vivos ou mortos. Dragões não morrem nunca... Existir ou não existir, nem é a geleia em questão. Ser ou não ser também tanto faz se não se sai do labirinto do nada em escolhas viciadas como as roletas oficiais. Fazem fila pra dar dinheiro aos eleitos desgovernantes. Fica tudo como está depois de esquenta que lá vem banana. Não é uma escolha feita pelo livre arbítrio, esta "nossa" vida de macacos sapiens. Empurram-nos bananas pelos anos novos e velhos na medida em que escolhemos pelos sentimentos que conseguimos racionalizar conforme nos doutrinam do útero ao velório. Aceitamos conformados bananas enormes para o bem do nosso livre arbítrio. Um dia seremos também canonizados... Sem alma.

O suicida tem livre arbítrio de escolher entre a felicidade que não pode vivenciar e a ideia de um hipotético salvar-se do extremo sofrimento pela extinção de "sua" consciência. Viva? O nosso Ego é um zumbi interpretando doutor Jacilei e ou o monstro Brian... É por isso que as drogas, todas, fazem tanto sucesso... Amenizam o sofrimento que nos fariam suicidar infinitamente. Reencarnação pode vir a ser uma oportuna loucura. 

Depois do enterro do "Morrido" aparecem os anticépticos reacionários raciocínios julgadores do não ter sabido, o suicida, enfrentar com galhardia as torturas que o levariam suportar o "desejoso" suicídio, e a beleza da vida eterna. Pimenta nos olhos dos outros nunca foi refresco. Perguntem aos torturadores.

Tô quase concluindo que a Laura foi abduzida, reformatada e devolvida aos fake books e outras idiotices internéticas muito bem engendradas pela velha CIA de todas as velhas e novas guerras... Livre arbítrio? Vai saber!?! Né mermo!?! Deixa pra lá...

Pensemos se não é mais fácil escolher quando não há desejo de escolha. Se não houvesse desejo. Pão, circo e relho. Aceitação do que nos é imposto. Desde eleições e vacinações até religiões e caveirões ordenadores dos insurretos "livre arbítrios" senzalados. Balas perdidas teleguiadas. Pegou esta livre escolha entre obedecer ou se foder nos pelourinhos das milenares Guantánamo planetárias?? 

Livre arbítrio entre bananas e bananas... Muitas são as espécies de bananas e macacos, mas todos serão bananas ou macacos de muitas espécies... ou não? Podres... Lixo é lixo para quem não é catador no lixão da vida lixo da infindável escravização dos humanos por todos os inumanos viventes nesta 3D de elementais e outras invisibilidades extraterrestres. Poderes...

Pirei não! É que quem não tem colírio escuro usa óculos surdos. Somos todos macacos desta nova ordem mundial dos mesmos todos papas em novas embalagens. Livre escolha... Em láureas cabeças formatadas pelo mesmo do mais de casa grande e senzalas for ever and ever infinitamente. Qual... Haja paciência para faxinar poeira no deserto, enxugando geleiras e "icebergs" de memórias recicladas como latinhas de alumínio em tempo de fajuto aquecimento global na nova idade do gelo de chemtrails de terremotos e maremotos fukushimas harrps


11 comentários:

  1. Olá Aldo, pois é livre arbítrio não existe, mas a responsabilidade pelas nossas ações sim. Transmitimos a impressão que podemos mudar o mundo, mas no fundo, atuamos dirigidos por um "sistema" que nos obriga a pensar e fazer as coisas conforme "ele" determina. Criamos, mas somos criaturas.. Conforme um soneto do filósofo Tommaso Campanella "No teatro do mundo, nossas almas performam um disfarce, escondendo-se atrás de seus corpos e de seus efeitos" Cada indivíduo possui suas próprias convicções, crenças e juízos de valor, cujo conjunto expressa sua "realidade".. Essa realidade é o resultado de tudo aquilo que lhe tem sido transmitido e ensinado ao longo de sua vida. A grande maioria das pessoas considera como real e verdadeiro, tudo aquilo que foi contado e recomendado pelos pais, ensinado pelos livros, por professores, pelas religiões, pela mídia, sem a preocupação de verificar se tais informações são coerentes..Funcionam como filtros que impedem a passagem da realidade, fazendo com que a maioria das pessoas, consigam enxergar apenas aquilo que desejam ver, tornando-os cegos para os demais acontecimentos. O fato é que a humanidade sempre foi, e continua sendo controlada por um grupo de organizações, políticas, financeiras e religiosas. Esse grupo condiciona toda a sociedade, em todas as partes do mundo, a uma condição de escravidão mental, fazendo-a prisioneira de seus interesses.
    Assim, temos condições de exercer nosso livre arbítrio? Realmente, a faxina tem que ser necessária, constante e infinita!
    Um grande abraço, Walfrido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, a faxina tem que ser necessária, constante e infinita! Eu te amo.
      Um aldíssimo grande abraço, Walfrido

      Excluir
  2. Oi Aldo e Walfrido, meus queridos

    Observar é das coisas mais difíceis que existe. Apenas observar sem mais julgamentos ou palavras conceitos ou ideias, ideais. Olhar para este mundo, ver a contradição em todos os lugares do Planeta inteiro, ver o que fizeram à mente humana, simplesmente a condicionaram e não ficar totalmente triste e insatisfeito, não é humano. Pela negativa chega-se lá... se não é humano, não são humanos os que nos dividem. Se não é humano e eu estou do lado de toda a humanidade, então eu estou a tomar um lado... o Todo. Sem querer, amigo querido, eu estou a tomar uma opção, a colocar-me de um lado, o da humanidade. Onde temos o livre arbítrio para sermos totalmente livres uma vez que estamos na dimensão da matéria, onde por obra de forças maiores, a mente humana foi malignamente dividida?! Onde está o livre arbítrio. Teria eu de ser uma guerreira ou um "cristal" se não houvesse uma luta constante entre luz e sombra, entre bem e mal, entre matéria e a não matéria? O que é a antimatéria?
    Qual livre arbítrio, qual carapuça? Quando o cérebro está limpo, está claro não existe escolha.
    Apenas o que sei e sei muito pouco, é que o Amor não é escravo do Tempo! Fora do Tempo poderá haver amor. É absolutamente necessário isto.

    Krishnamurti viu o futuro e colocou-se fora do Tempo... uma TREMENDA SIMPLICIDADE o iluminou e foi um Grande Guerreiro.

    Bem hajam amigos queridos, que tanto me têm ajudado com a vossa amorosa companhia neste mundo de loucos.

    Um grande e carinhoso abraço para "ocês". :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Krishnamurti viu o futuro e colocou-se fora do Tempo... uma TREMENDA SIMPLICIDADE o iluminou e foi um Grande Guerreiro.

      Bem hajam amigos queridos, que tanto me têm ajudado com a vossa amorosa companhia neste mundo de loucos.

      Um grande e carinhoso abraço para "ocês". :)

      Excluir
  3. Adorei essa colocação:" Pensemos se não é mais fácil escolher quando não há desejo de escolha" Cai do céu quando o desejo é legítimo, incondicional, e quando brota do nada. Simples como quando o pai pergunta algo para uma criança e ela responde; "Porque sim" sem referencia nenhuma para explicar... Bom te ver... beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te amo.
      "Porque sim" sem referencia nenhuma para explicar... Bom te ver... beijos

      Excluir
  4. Nem de propósito acabei agora de ouvir estas palavras de Krishnamurti:
    "Muitas pessoas estão interessadas na parapsicologia... no ocultismo... ler pensamentos e despertar a kundalini. Vocês já ouviram esse tipo de coisa, não é?
    Ir à Índia para descobrir, ou ao Tibete se puder lá chegar... agora não se pode mais. Ou ir ao Japão deobrir todas essas coisas.
    O orador esteve desde a infância envolvido nisto. Ele conhece alguma coisa ou muito sobre isso. Mas todas essas coisas são como um dia aprazível ou uma bela tarde e que passa e elas não têm importância de facto. O que é importante e essencial... não estas coisas misteriosas, que não são misteriosas de todo. Se a pessoa é muito sensível físicamente e tem uma mente muito, muito quieta, cérebro silencioso, então todas as outras coisas são possíveis. E aquilo que é possível pode ser compreendido e transcendido. Isso é descobrir aquilo que é atemporal, que está além da medida. E isto, é muito mais importante do que entregar-se a estas coisas ingénuas."

    https://www.youtube.com/watch?v=VlOSbqOYRnM
    minuto 1..06.00

    ResponderExcluir
  5. Ainda Aldo, porque só agora lá cheguei, tenha atenção mais à frente com a preocupação de Krishnamurti e o pensamento estático, repetitivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito grato. Vou la ver depois te conto... O que vi rsrsrsrsrsrs

      Excluir
  6. Porque? Porque sim. Sou Grata. Te Amo.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails