O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

"Canalização" do Amanagé ré sobre o "espírito do Faraó" que se finge de morto há milênios.


Depois que digitalizei o que vão ler, pensei dever deixar esta aos mais jovens...
Se eu soubesse o que sei hoje, teria passado mais tempo da minha vida de mãos dadas com todas as mulheres que amei... Sei isso, agora, e continua tão importante...

Como a nova canalização, faraônica, do amangé ré com os pseudônimos de; Veríssimo, Nhô Einstein, Osho, Lee Oswald, Madona, Lula, São Facebook e ou outros, fiquem à vontade, podem escolher no qual mais confiam e acreditam... O importante é ler a mensagem.
 




Amanhece o dia e resplandece a inenarrável arquitetura.

Estamos na magnífica corte. A presença luzente do Faraó All Do Mórfis Infin Done III, cujo nome significa em livre tradução; aquele que é absoluta e infinitamente capaz de fazer todas as formas, feito terceiro, e único, é monumental.


Abrem-se, sonoramente, as cortinas dos cotidianos trabalhos da justiça do diviníssimo faraó. 


O Faraó já fez muita M, N, e agora fará o Ó. Todos aguardam pelo divino feito, ansiosos. É a alegação da manutenção do justo, ou do que é justo, no milenar divino faraônico justíssimo sistema escravagista. " - Há de durar, a minha justiça, além da minha permanência neste diviníssimo govêrno, assim como "durarão" os de meus diviníssimos ancestrais"; disse ele, esotérico, abrindo os diviníssimos trabalhos... (Emocionaram os presentes estas palavras. Se não eram divinos diamantes, certamente eram lágrimas...)

Conforme os autos, e o testemunho do oculado "canalizante" aqui; apresentaram-se os rastejantes queixosos e as suas chorosas querelas. 

Dois abastados possuidores (escravos de luxo do faraó e dos seus mentores sacerdotes) de muitas posses e escrituras de terras griladas e muitos escravos (também escravos do faraó é claro), acusando-se mutuamente de chicotearem inesperada, inadvertida e violentamente escravos fugidos de "suas" propriedades. 

Um "detalhe" importante aos desavisados. Tudo e todos, neste mundo, e, talvez em outros, inclusive o dos iludidos, nunca esqueçam, são propriedade da faraó'sgangdireitodivino&cias. Estamos bem entendidos nesta premissa? Continuemos...

Fala o faraó pela boca do seu chefe dos ventríloquos, "o porta-voz do divino":  - Que cada um, proprietário cuidador de minhas todas propriedades, entenda bem que; só pode chicotear os escravos de sua, (leia-se; minha) propriedade... Ajoelhem-se todos para ouvir falar a divina santíssima faraonidade. Os escribas, que já estavam de joelhos, desandaram escrever isso. Não sei o porque, mas escreviam muito mais do que falava o faraó.

Fez, o Faraó, uma longa pausa. Teatral. Não se ouvia serpente rastejando no chão vítreo daquele lotado imenso salão. Antes que eu esqueça. Se há uma coisa formidável na conduta deste faraó é seu senso de "tempo dramático". Admirável. E disse com a suavidade de uma madrasta, quase sussurrando, com uma de suas próprias vozes, aquela era a de padrasto...

" - Crianças; cada um bate nos seu! Ninguém bota no do outro, digo, outrossim, digo, no outro; a culpa desse fato. Outrossim, digo, e repito... Esticou o comprido cetro como extensão do dedo anelado, aos escribas, que não pararam de escrever as futuras providências.  

" - Chicotadas masoquistas, públicas, só nos próximos BBBs.. Entenderam? Anotaram isso? Quase sorriu quando disse isso suavemente, o magnífico Faraó de voz divinal, cavernosamente baixa, enquanto percorria o olhar, com a cabeça levemente inclinada, o seu vasto horizonte de súditos ajoelhados.

Mas, todos, no salão e fora dele, graças a perfeita acústica transcendental, ouviram-no como um sopro maternal, e me pareceram satisfeitos. Suas divinas palavras foram levadas mundialmente pelos midiáticos sete ventos, os "louders and clears".


Deu a sentença! Curta e grossa. Como manda o figurino de todo faraó que se preza justo. 

O silêncio era gelado e úmido quando a voz, sempre vinda do alto, ecoou nos salões como um funk místico. " - Que conste nos hierográficos autos: que cada um, completamente despido, receba nas costas, digo, nádegas, e no peito, digo, contudo, no entanto, poupem-se os rostos, tres chicotadas mútuas é o bastante, aqui e agora." Alguns disseram ter ouvido, naquele absoluto silêncio, cobras rastejando agitadas. 

O Faraó, pigarreou arrumando discretamente o nemes, e o seu chefe dos maquiadores sinalizou-lhe com o dedo polegar levantado, sabiam que estavam "no ar", sabia estar sendo televisionado, inclusive para outros universos. Então deixou escapar um solene; " - Eu Adoro isso..." Rangendo os dentes na grunhida voz ligeiramente escamosa.

 

Não se importa, a sublime divindade faraônica nunca se importou que o mundo ouça isso de sua magnificente boca. Apenas fez um discreto gesto que lembrou aos escribas não registrar nos autos suas preferências íntimas. Inda que o mundo goste disso, ele odeia ter que lembrar a qualquer um o poder do Faraó. Fez o discurso do aeiou dos pqTrexzs aos seus ministros, assessores civis e militares, ao admirável fiel tele espectador, e, principalmente, à "a grande maioria", ao SEU povo, "o povo em geral"... 

"Sou, Ô, FARAÓ, farei o abecedário maiúsculo e minúsculo da pqp do baralho. O mundo sou EU!... Não preciso pedir permissão a deus algum, a ninguém, para criar minhas siglações... Eu sou o deus!

Uma pergunta pára tudo. 

Na hora "H", em que iam já começar as mútuas chicotadas. "Temos direito ao recurso? Rompendo o divinizador silêncio, perguntaram prontamente os "faraônicos divinizados advogados" das partes litigiosas.

Do alto do silêncio divino que se fez, veio a voz... " - O perfeito imortal All Do Mórfis Infin Done III, sempre zelou, e sempre zelará pela sua justiça e o direito de defesa de seus súditos, inda que, a corrupção seja nossa essência, e um fim em si mesma. Bem... Balançou artisticamente a cabeça admirando a maravilha daquele seu pensamento forma. É justo! Retroativamente! Que seja! Recurso retroativo... Gosto disso... Divinização... Disse para si mesmo o augusto faraó. (O cara é um super star, como dizemos nós.) Desta vez, o perfeito, falou alto e claro, com entusiasmo. E repetiu sua ordem em várias línguas, mortas e vivas, deliciou-se.

Assim, cientes e calados, os
cabisbaixos advogados deram as costas aos clientes e reverenciosos foram saindo, preparando seus recursos retroativos... 

Sem dó nem piedade, desinibidas, decididamente, com o íntimo prazer quase evidente... Chicotearam-se as partes publicamente, conforme ordenara o faraó. 


Soube depois,
 
por outras canalizações parceiras que, nos autos dos hieroglíficos recursos daquele causo, se sucederam recursos e julgamentos televisionados, por muitos e muitos anos, e, as mútuas chicotadas idem. Sempre em cadeia universal, os "BIGs SUPERFARABBs"

Um garantido sucesso requentado muitas e muitas vezes. Apenas houve mudança, aprimoramentos, no "modus fasciendi". A maneira de fazer "o processo" passou do privado ao público compulsório, uma necessidade de "professar" a defesa dos bons costumes e do bom exercício da moral cívica do cada vez mais lucrativo e necessário espetáculo justiceiro.

O faraó, muitíssimo cioso do seu "modus operandi" televisivo, do alto de suas diviníssimas crenças e escolhas, jamais dispensou suas sadomasoquistas divinas vaidades expostas publicamente. Disse e repete, em sua (maquiada) atualizada hierografia "não autorizada" que, o seu povo "tão querido" (ou seja, a humanidade toda), crê e escolhe gostar (?) desse seu divino ato humanitário, sempre democraticamente. 
" - Caso não gostem nem creiam nesta divina verdade..." 
(Sinistro, apoiando-se no cetro. Apertando a mão como quem esmaga alguma coisa. Chegando o punho e o corpo bem para frente, quase caindo do áureo trono, (chamou um "close up") olhando dentro da câmera só com o arregalado sobrenatural olho esquerdo que luzia como brasa soprada. Na voz artísticamente muito bem colocada, bradou completando o encomendado texto:) " - Prendo e arrebento! Entra no pau! No pau- de-arara! No relho; na porrada, na Guantânamo, corto-lhes as cabeças ou outras corretivas torturantes amenidades...


Cá entre nós, e que ninguém nos ouça. 

O reluzente Faraó, sempre entre dentes, entre um gole e uma mordida em seus infindáveis banquetes, gosta de repetir essas ameaças para seus muitos explícitos e secretos puxa sacos banqueteadores aplaudirem. Juram, todos eles, de pés juntos e gargalhando, até hoje... "Mesmo na intimidade ele não é nada disso que dizem por aí... (...) "É inveja, desfeita; isto sim... "Ele é uma gracinha de pessoa... "Uma pessoa adorável, muito incompreendido... "Amoroso, uma mimada criança grande para com os íntimos e os seus queridos silenciosos cães de guarda; Drone, Chemtrail, Haarp, Chip, Cia, Mensalão, os outros não estou lembrando os nomes, são muitos; precisa ver a beleza que é o divino canil... "Criatura inesquecível, divinamente democrático, tímido até... "Acusam-no injustamente, esses traiçoeiros detratores... "Terroristas...

Vou parando por aqui, porque puxa-saco quando começa...
 

E assim, MILENARMENTE, essa história, inverossímil,
entra por uma porta e sai pela outra sempre em "nova embalagem". 
E, quem quiser que conte outra...



Dizem por aí, que um especial, um "tal de" Franz Kafka, "canalizou" em livro, uma história que virou filme com nome de "O processo", e que fala disso, esse  adorável "divino causo" do nosso incompreendido ditatorial democraticamente invisível infinito escravista labirinto do  nada em que "temos sido"...


 A "canalização" e as sugestões são minhas.  
As escolhas são suas.
 

Faz silêncio
Assuma 100% de responsabilidade por tudo o que está em sua vida. Desliga a terrorista TV. Medita. Bebe água do mar, goles, pesquise isso. Beba muita água solar azul e não pensa que só porque estamos em 2013, 2012 acabou. Não se desligue do treinamento do amor do perdão incondicional e da compreensão de que tempo não existe.

Caminha
Nossa essência é amorosa, INFINITA, divina e perfeita, não esquece isso também.  Outras dicas. Se você chegou até aqui, e gostou do que viu e leu, sou grato. Recomenda estas informações aos amigos. Compartilha suas descobertas.
Medita

Sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato. Que vocês tenham gostado da ga@@afa de hoje. Segue meu sempre agradecido amoroso abraço firme e forte. Olha o "fervereiro" aí gente! E a "chuva" não pára, capricha mais na fantasia. Toda PAZ. 

Respira
Fica no agora, continua treinando, e lembra; rir é estar no presente e ainda é Ô remédio. Cuida bem de você e ajuda alguém mais... Deixa um comentário. A velocidade do transcendente continua aumentado...  

http://crescent.com.br/aure-elf-bustert.htm

Um comentário:

  1. È como que o Faraó, passasse por um portal tipo Stargate e dicha se para trás "nos" preso na Matrix.
    Interessante! E quando os presos começamos a compreender o seu "modus operandi" ele nos inunda de informações e contra informações, todas vindas de fora da Matrix.Livro dos Mortos, Pergaminhos Sagrados, As Bíblias? As Bíblias, Septuaginta,A VULGATA, a Bíblia. E depois livros e livros de Alquimia, livros de espíritos, todos estes criados por uma mente fora da Matrix.
    Acho que é so para nos ficarmos debatendo e debatendo como se fossemos um peixe fora dágua.
    Acho que é por ai.
    Graça e paz..... felipe

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails