O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

domingo, 15 de julho de 2012

A QUESTÃO DO MEDO




A questão do medo


Inuit é um povo esquimó que acredita que as causas das doenças são de origem espiritual e comem apenas duas refeições principais por dia e somente quando estão com fome. Sua base alimentar é de carne de animais, mas eles sabem que sua sobrevivência faz parte de uma troca.


"O grande perigo de nossa existência repousa no fato de que nossa dieta consiste inteiramente de almas". Povo Inuit


Textos antigos indianos relatam que há 4 “Leis da espiritualidade"


1. A pessoa que vem é a pessoa certa.



Ninguém entra em nossas vidas por acaso. Todos que têm contato conosco o fizeram porque os atraímos de alguma maneira. Eles estavam afinados, coerentes com a nossa frequência do momento. Por isso, as pessoas vão embora e chegam a todo instante fazendo parte dessa engrenagem de informação para evolução.



2. Aconteceu a única coisa que poderia ter acontecido



Tudo que nos acontece é fruto de nossas escolhas (inconsciente ou consciente). Se não entendemos no momento por que aquilo aconteceu ou está acontecendo, devemos ficar atentos para entender a mensagem que está sendo dada para aprendermos com ela. Um sintoma nos faz verdadeiros, nos deixa transparentes. Entenda sua “doença”, ela está lhe contando algo sobre você.



3. Toda vez que você iniciar algo - é o momento certo.



Tudo começa na hora certa, nem antes nem depois. Quando estamos prontos para iniciar algo novo em nossas vidas, é que as coisas acontecem. Se ela não está dando certo, não é para ser dessa maneira e você terá que rever suas metas. Flexibilidade e equilíbrio emocional – te levam a outras dimensões.



Não é por acaso que estamos unidos agora, nesse exato momento. Aprendemos uns com os outros sem necessidade de estarmos ligados fisicamente, apenas intuitivamente. Não temos “corpos”, cargos, status social, na WEB, apenas seres fazendo as melhores escolhas dentro daquilo que acreditam.



4. Quando algo termina, ele termina.



Simplesmente assim. Se algo acabar em nossas vidas é porque chegamos ao final do jogo. Tudo que havia para ser dito e experienciado, foi feito – é o fim de um ciclo, início de outro.


Segue o jogo. Sou grato à Laura Botelho, e você que leu e vai continuar lendo o resto desta história AQUI  e  AQUI: laura botelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails