O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

domingo, 1 de julho de 2012

ADEUS AS ILUSÕES, ELES GOSTAMOS DE GUERRA



Um final de semana pleno de guerras, só para variar. O futebol, por exemplo, é o mais popular arremedo de guerra que existe, times e competições teatralizam guerras insuspeitas e sem fim, acho que já instituíram o "campeonato mundial de guerras" e eu ainda não estou sabendo. Guerra de times, de torcidas, guerra contra as drogas e o tráfico de armas, guerra contra a corrupção, guerra de prevenção contra a guerra. Gangsterismo. Conseguem a hipocrisia de propor a guerra apocalíptica e derradeira para acabar com todas as guerras... Falta dinheiro para tudo, é um descalabro, para guerras, sobra.

Guerras hollywoodianas midiocraticamente divulgadas garantem o lucro na banalização do escravismo, o verdadeiro objetivo de todas as guerras. Sejam quais forem os motivos alegados, duvido que você me conteste e apresente um outro motivo para guerras que não seja o escravagismo.
O escravagismo é o principio e o fim deste sistema que descaradamente mata e escraviza para "democratizar humanitariamente" os que estejam e queiram permanecer em liberdade.
Legalmente, sempre armados e t u d o  d e n t r o  d a  l e i, a ONU foi criada para isto, faça-se justiça. Afinal, são muitos zilhões, fortunas que são queimadas como fogos de artifício em festa de fim de ano. Adoram comemorar contabilizando os lucros em perdas e danos, mortos e feridos.
Preparam a carnificina, vejam um dos mapas do macabro jogo.

Estamos, para variar, às portas de mais uma guerra, a 3ª guerra mundial, que certamente será a última caso eles resolvam gastar suas ogivas nucleares antes que terminem os prazos de validade destas munições...

Será que aqueles buracos profundos construídos para esconder a tal de elite (a casa grande, sem as senzalas) e os milhões de caixões e campos de concentração são para este fim?

Guerras, campeonatos, competições, com certeza são um grande "investimento" porque dão muito dinheiro tanto no fratricídio como no genocídio. Tudo dentro da lei e muito bem explicado, é muito honroso assassinar milhões de pessoas legalmente, sempre dentro da lei.
Quem ainda não viu é bom olhar com atenção; neste jogo demoníaco, o Brazsil, deitado em berço esplêndido, é a bola 7, paradinha na boca da caçapa...
Vejamos o que diz sobre a guerra o nosso Wikipédia:
Guerra é um confronto sujeito a interesses da disputa entre dois ou mais grupos distintos de indivíduos mais ou menos organizados, utilizando-se de armas para tentar derrotar o adversário. A guerra pode ocorrer entre países ou entre grupos menores como tribos ou facções políticas dentro do mesmo país (confronto interno). Em ambos os casos, pode-se ter a oposição dos grupos rivais isoladamente ou em conjunto. Neste último caso, tem-se a formação de aliança(s).
Diz-se guerra civil a um confronto que provoca uma onda de conflitos armados, programados ou planejados entre facções, partidos ou grupos de um mesmo povo, ou ainda a que ocorre entre povos ou etnias habitantes de um mesmo país. Expressões como "guerra econômica" e "guerra psicológica" designam também os confrontos diretos provocados pelos pequenos conflitos efervescentes, agudos com ações igualmente violentas mas sem o uso de armas, necessariamente. O confronto ou a guerra pode ter motivos religiosos, étnicos, ideológicos, econômicos, territoriais, de vingança, ou de posse (quando um grupo deseja algo do outro).
Depois de mais essas reflexões sobre o escravagismo travestido de "pacifismo" bélico, reencontro o meu prezado George Carlin olhando esta mesma questão. Como um bom e decente americano do norte que ele é (certas pessoas são imortais), aqui está ele fazendo sérias considerações, e, a autópsia da cultura desta desgraçada escravidão universal.


Finalizei o mês de junho com ele e achei de começar julho com este outro "inspired advice" do mesmo autor.
Vos amo e sou grato, sinto muito. Presta bem atenção porque segue o jogo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails