O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, MISÓGINO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quinta-feira, 31 de maio de 2012

JÁ ENCOMENDOU O SEU?





Brasileiro é fogo, o mundo sabe disso.
Vive no mundo da lua. Varginha que nos diga.
Adora novela de qualquer espécie, pode ser política, esportiva, judicial, policial, militar, religiosa, profana, sexual, extraterrestre, não importa, legal ou ilegal, o negócio é novelar e "viajar na bendita maionese".
A mais recente em cartaz é a "o fim do mundo vem aí"... Yes we can, we have bananas!
O mundo já acabou faz tempo. E ninguém percebeu. Não é que ele acabe e recomece todos os dias, não, pergunte aos paulistas se o mundo não acabou faz um tempão. O que taí é mera ilusão. Etanol para salvar o tio Bush, aquele que o Lula abraçou para melhor governabilidade. Não sei qual? Você não sabe? Também quer saber? Perguntemos ao Pai Obama no seu jogo de obuzes.
"Matrix reloaded for ever."
Duvida?
O tal de "SISTEMA", mais conhecido vulgarmente por JOGO DO "IMPÉRIO", enquanto joga conosco, se alimenta de tudo o que a escravizada humanidade produz PARA ELE, principalmente do lixo.
O lixo de tudo. Este é o cacife. Seja intelectual, espiritual, material, sexual, erudito, medicinal, nutricional, paranormal, qualquer tipo de lixo.
Sempre tem qualquer DROGA para pronta entrega. Qualquer coisa lixo que possa manter jogando a humanidade alienada em sua lixosa perene escravidão. Tá duvidando?
Tem gente que acredita. Tem quem  desdenha. Tem quem não acredita. Tem quem nem sabe do que estou falando. Tem até quem reclama de tudo e mais um pouco sem saber de que está reclamando só para exercer o lixo arbítrio.
A vida é isso mesmo, feita de crenças e escolhas, não tem escapatória.
Mas nem tudo foi sempre este lixo. Houve um tempo em que a Terra nem era redonda, era um outro tipo de lixo, chata e o mar acabava onde a vista alcança, dali em diante era um abismo cheio de lixos monstruosos, comedores de navegantes e seus lixos. Tem quem ainda duvide de tudo isso.
E será que o homem foi mesmo a lua? E se não passou de lixo hollywoodiano esta jornada nas estrelas para boi dormir? O espaço sideral de lá para cá é um lixo só. Tudo orbitando...
Tá acompanhando pela TV lixo o lixo político que você elegeu pensando em limpar o lixo acumulado desde muito antes de 1964?  Esquece este lixo? E a comissão da verdade?
Pelo sim pelo não, já encomendou seu caixão? Ou vai deixar para a última hora?
O mundo todo, os quem tem alguma grana, dessas que não se acha no lixo, já está comprando seus caixões para o fim do mundo. Aposto que os brasileiros, como sempre, vão deixar para a última hora.
Brasileiro é fogo na roupa, ainda nem sabe do lixo que se trata e já está achando que estes tais caixões são mesmo um lixo. 
Afinal, para que tantos caixões? Alguém sabe me dizer?
Enquanto ninguém se aventura me responder... Segue o lixo do jogo aí ô meu ! Ou devia dizer segue o jogo do lixo? Tanto faz? Tudo aqui no Brazsil acaba em lixo no lixo?
Então, segue o jogo.
Sinto muito, sou grato.
Em tempo; será que todos estes caixões estão relacionados com este outro lixo aqui?

E COM ESTE AQUI?

ENQUANTO SEU LOBO NÃO VEM...

RECUPERANDO O FÔLEGO
ENQUANTO SEU LOBO NÃO VEM
SOU CARIOCA

AQUI ESTÁ UM PRESENTE DE DESANIVERSÁRIO
AOS VISITANTES
PENSOU QUE EU FOSSE UM EMPEDERNIDO
CONSPIRANÓICO CÃO RAIVOSO ?
SÊ TÁ LÔCO? SOU PISCIANO DA GEMA
MORO NO MORRO,
I'M IN HEAVEN,
SEGUE O JOGO!
ECRÃ INTEIRO E SOM NA CAIXA...


DIANA KRALL, TE AMO & SOU GRATO

Leonardo Boff: Todo o Brasil foi vítima da ditadura militar

quinta-feira, 31 de maio de 2012

Leonardo Boff: Todo o Brasil 

foi vítima da ditadura militar

publicado em 30 de maio de 2012 às 23:24
Colunistas| 30/05/2012 | Copyleft
DEBATE ABERTO
1964: Golpe Militar a serviço do Golpe de Classe
Para que a missão da Comissão da Verdade seja completa e satisfatória, caberia a ela fazer um juízo ético-político sobre todo o período da ditadura. O assalto ao poder foi um crime contra a Constituição, uma ocupação violenta de todos os aparelhos de Estado para montar uma ordem regida por atos institucionais, pela repressão e pelo estado de terror.
Leonardo Boff, na Carta Maior
O objeto da Comissão da Verdade deve sim, tratar dos crimes e dos desaparecimentos perpetrados pelos agentes do Estado ditatorial. É sua tarefa precípua e estatutária. Mas não pode se reduzir a estes fatos. Há o risco de os juízos serem pontuais.
Precisa-se analisar o contexto maior que permite entender a lógica da violência estatal e que explica a sistemática produção de vítimas. Mais ainda, deixa claro o trauma nacional que significou viver sob suspeitas, denúncias, espionagem e medo paralisador.
Neste sentido, vítimas não foram apenas os que sentiram em seus corpos e nas suas mentes a truculência dos agentes do Estado. Vítimas foram todos os cidadãos. Foi toda a nação brasileira. Para que a missão da Comissão da Verdade seja completa e satisfatória, caberia a ela fazer um juízo ético-político sobre todo o período do regime militar.
Importa assinalar claramente que o assalto ao poder foi um crime contra a Constituição. Configurou uma ocupação violenta de todos os aparelhos de Estado para, a partir deles, montar uma ordem regida por atos institucionais, pela repressão e pelo estado de terror.
Bastava a suspeita de alguém ser subversivo para ser tratado como tal. Mesmo detidos e sequestrados por engano como inocentes camponeses, para logo serem seviciados e torturados. Muitos não resistiram e sua morte equivale a um assassinato. Não devemos deixar passar ao largo, os esquecidos dos esquecidos que foram os 246 camponeses mortos ou desaparecidos entre 1964-1979.
O que os militares cometeram foi um crime lesa-pátria. Alegam que se tratava de uma guerra civil, um lado querendo impor o comunismo e o outro defendendo a ordem democrática. Esta alegação não se sustenta.
O comunismo nunca representou entre nós uma ameaça real. Na histeria do tempo da guerra-fria, todos os que queriam reformas na perspectiva dos historicamente condenados e ofendidos –as grandes maiorias operárias e camponesas– eram logo acusados de comunistas e de marxistas, mesmo que fossem bispos como o insuspeito Dom Helder Câmara.
Contra eles não cabia apenas a vigilância, mas para muitos a perseguição, a prisão, o interrogatório aviltante, o pau-de-arara feroz, os afogamentos desesperadores.
Os alegados “suicídios” camuflavam apenas o puro e simples assassinato.
Em nome do combate ao perigo comunista, se assumiu a prática comunista-estalinista da brutalização dos detidos. Em alguns casos se incorporou o método nazista de incinerar cadáveres como admitiu o ex-agente do Dops de São Paulo, Cláudio Guerra.
O grande perigo para o Brasil sempre foi o capitalismo selvagem. Usando palavras de Capistrano de Abreu, nosso historiador mulato, “capou e recapou, sangrou e ressangrou” as grandes maiorias de nosso povo.
O Estado ditatorial militar, por mais obras que tenha realizado, fez regredir política e culturalmente o Brasil. Expulsou ou obrigou ao exílio nossas inteligências e nossos artistas mais brilhantes.
Afogou lideranças políticas e ensejou o surgimento de súcubos que, oportunistas e destituídos de ética e de brasilidade, se venderam ao poder ditatorial em troca benesses que vão de estações de rádio a canais de televisão.
Os que deram o golpe de Estado devem ser responsabilizados moralmente por esse crime coletivo contra o povo brasileiro.
Os militares já fora do poder garantiram sua impunidade e intangibilidade graças à forjada anistia geral e irrestrita para ambos os lados.
Em nome deste status, resistem e fazem ameaças, como se tivessem algum poder de intervenção que, na verdade é inexistente e vazio. A melhor resposta é o silêncio e o desdém nacional para a vergonha internacional deles.
Os militares que deram o golpe se imaginam que foram eles os principais protagonistas desta façanha nada gloriosa. Na sua indigência analítica, mal suspeitam que foram, de fato, usados por forças muito maiores que as deles.
René Armand Dreifuss escreveu em 1980 sua tese de doutorado na Universidade de Glasgow com o título: 1964: A conquista do Estado, ação política, poder e golpe de classe (Vozes 1981).
Trata-se de um livro com 814 páginas das quais 326 de documentos originais. Por estes documentos fica demonstrado: o que houve no Brasil não foi um golpe militar, mas um golpe de classe com uso da força militar.
A partir dos anos 60 do século passado, se formou o complexo IPES/IBAD/GLC. Explico: o Instituto de Pesquisas e Estudos Sociais (IPES), o Instituto Brasileiro de Ação Democrática (IBAD) e o Grupo de Levantamento de Conjuntura (GLC).
Compunham uma rede nacional que disseminava ideias golpistas, composta por grandes empresários multinacionais, nacionais, alguns generais, banqueiros, órgãos de imprensa, jornalistas, intelectuais, a maioria listados no livro de Dreifuss.
O que os unificava, diz o autor “eram suas relações econômicas multinacionais e associadas, o seu posicionamento anticomunista e a sua ambição de readequar e reformular o Estado”(p.163) para que fosse funcional a seus interesses corporativos.
O inspirador deste grupo era o General Golbery de Couto e Silva que já em “em 1962 preparava um trabalho estratégico sobre o assalto ao poder” (p.186).
A conspiração, pois estava em marcha, há bastante tempo.
Aproveitando-se da confusão política criada ao redor do Presidente João Goulart, tido como o portador do projeto comunista, este grupo viu a ocasião apropriada para realizar seu projeto.
Chamou os militares para darem o golpe e tomarem de assalto o Estado. Foi, portanto, um golpe da classe dominante, nacional e multinacional, usando o poder militar.
Conclui Dreifuss: “O ocorrido em 31 de março de 1964 não foi um mero golpe militar; foi um movimento civil-militar; o complexo IPES/IBAD e oficiais da ESG (Escola Superior de Guerra) organizaram a tomada do poder do aparelho de Estado” (p. 397).
Especificamente afirma: “A história do bloco de poder multinacional e associados começou a 1º de abril de 1964, quando os novos interesses realmente tornaram-se Estado, readequando o regime e o sistema político e reformulando a economia a serviço de seus objetivos” (p.489). Todo o aparato de controle e repressão era acionado em nome da Segurança Nacional que, na verdade, significava a Segurança do Capital.
Os militares inteligentes e nacionalistas de hoje deveriam dar-se conta de como foram usados por aquelas elites oligárquicas que não buscavam realizar os interesses gerais do Brasil; mas, sim, alimentar sua voracidade particular de acumulação, sob a proteção do regime autoritário dos militares.
A Comissão da Verdade prestaria esclarecedor serviço ao país se trouxesse à luz esta trama. Ela simplesmente cumpriria sua missão de ser Comissão da Verdade.
Não apenas da verdade de fatos individualizados; mas, da verdade do fato maior da dominação de uma classe poderosa, nacional, associada à multinacional, para, sob a égide do poder discricionário dos militares, tranquilamente, realizar seus propósitos corporativos de acumulação.
Isso nos custou 21 anos de privação da liberdade, muitos mortos e desaparecidos e de muito padecimento coletivo.

Leonardo Boff é teólogo e escritor.

PS do Viomundo: Li outro dia, na Folha de S. Paulo, um texto que fazia uma estranha aritmética sobre quantos tinham sido mortos pela esquerda durante a ditadura militar e quantos tinham sido mortos pelo regime. Descontextualizava o assunto, não mencionando quantos foram cassados, exilados, presos e perseguidos pela ditadura, quantos tiveram os domicílios, a correspondência ou os direitos sociais violados, nem os milhões que tiveram os salários arrochados. Uma forma mais sofisticada de dizer “ditabranda”. Por isso a sugestão de Leonardo Boff é importantíssima. Mais que isso, é preciso apontar claramente quem financiou e quem se beneficiou do regime. A Folha, por exemplo, ofereceu apoio ideológico e material, na forma de um jornal emprestado à turma do torturador Sergio Paranhos Fleury e de veículos para as campanas do maior centro de torturas montado no Brasil, na Operação Bandeirante. O que, aliás, explica a “ditabranda”.
Leia também:
Bernardo Kucinski: Quem financiou a repressão?
Ivan Seixas, sobre a Folha da Tarde: O jornal que matava nas manchetes
Ivan Seixas: Otavião tinha medo de ser fuzilado
Rose Nogueira: A ficha (verdadeira) da Folha
Maria Victoria Benevides: O esqueleto no armário
Beatriz Kushnir: Quem eram os cães de guarda
Beatriz Kushnir: Como a mídia colaborou com a ditadura

quarta-feira, 30 de maio de 2012

POR QUE NÃO COMO SOJA DE JEITO ALGUM?


"O que mais preocupa 

é justamente a exposição crônica 

aos agrotóxicos"

29 de maio de 2012

Por Cida de Oliveira
Da Revista Retratos do Brasil


Durante muito tempo, uma dieta rica em frutas, verduras, legumes e cereais era garantia de saúde porque suas vitaminas, minerais, fibras e proteínas são essenciais para o bom funcionamento do organismo. Mas essa opção já não é tão saudável. Agroquímicos largamente usados para compensar a terra maltratada e exaurida e para matar ervas daninhas e insetos, sob pretexto de aumentar a produção, permanecem nos alimentos e causam uma série de doenças. Estudos científicos, inclusive dos próprios fabricantes durante o desenvolvimento dos produtos, constatam prejuízos à saúde.
Em Primavera do Leste (MT), trator faz pulverização da soja

A pesquisadora Raquel Rigotto, professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará, conta que há intoxicações agudas que surgem logo após as pulverizações, sinalizadas por dor de cabeça, náusea, alergia, ardor na pele, no nariz e até convulsões, coma e morte. E há os efeitos crônicos pelo acúmulo de veneno no organismo, afetando quem planta e quem consome. “Causam alterações hormonais, no fígado e rins, abortos, malformações congênitas, câncer de tireoide, de mama, leucemia, distúrbios cerebrais e comportamentais, como tentativas de suicídio”, esclarece Raquel, que estuda os impactos das pulverizações aéreas na região da chapada do Apodi, no Ceará. Há aumento de casos de câncer, mas a pesquisadora diz que a subnotificação esconde os números reais. Existe ainda o potencial agravamento dos problemas de saúde devido a mistura de ingredientes ativos, dosagens maiores e as aplicações seguidas para compensar a resistência das plantas aos componentes.
CONTINUE LENDO AQUI

Para a agrônoma Nívia Regina da Silva, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), é possível alimentar toda a população sem agrotóxicos. Isso, porém, exige mudanças no campo, hoje marcado pela concentração de terra, monocultura de produtos para exportação e uso de sementes modificadas, fertilizantes e pesticidas. “A luta do pequeno agricultor, que realmente produz alimentos, é enorme. Ele é obrigado a comprar sementes que não brotam, que exigem a presença de agroquímicos, os quais, por sua vez, exigem sementes melhores. É um círculo vicioso. Se não mudarmos essa forma de produção, teremos um país doente.”


Podem ler também 
http://soubem.forumais.com/t282-soja-prejudicial-a-sua-saude
 e
 http://www.arzt.com.br/informacoes/mandamentos-da-boa-alimentacao

terça-feira, 29 de maio de 2012

Apelo do Dr. Rath às pessoas da Alemanha, da Europa e de todo mundo


Humanos, levantem-se.
Nossas crenças determinam nossas escolhas.
Não acreditem no sistema escravagista que nos oprime milenarmente.
Escolhi ser livre, divino, perfeito, imortal e infinito como nos fez o amor incondicional de nosso criador.
Escolhi defender a sua, a minha, a nossa humanidade contra este inumano 4º Reich nazi sionista genocida que sob o eufemismo de nova ordem mundial avança sobre o mundo e quer nos manter escravizados por mais mil anos.
Não estou só. Não estamos sós.
O tempo urge. O SISTEMA É ESCRAVAGISTA, ALIENÍGENA , INUMANO E ANTROPOFÁGICO.
Nunca desligue seu detector de mentiras. Ninguém virá nos salvar... Nada, religião alguma, lei alguma, substituirá a responsabilidade 100% dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós.
O Divino em todos nós é o amor incondicional, não julga nem pune, é o perdão, não guarda mágoas, é a paz, ama incondicionalmente.
Mantenha-se na vibração do amor, todos os espíritos, corações e mentes estão interconectados. Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao amor incondicional.
A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal e intransferível. A hora é agora! Que cada um cumpra seu dever humanitário. Este é meu apelo. Sou grato.


Apelo do Dr. Rath 

às pessoas da Alemanha, 

da Europa e de todo mundo. 

Berlim / em 13.03.2012 

 

 Para apoiar esta campanha, basta enviar um e-mail para o seguinte endereço: Info@dr-rath-foundation.org Ou consulte a nossa página web em: http://www4.dr-rath-foundation.org/Vivemos em tempos de…

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Quem está por trás dessas verdades que nos ocultam?


Andando de "galho em galho" nesta bendita internet me surpreendi com o que vi e imaginei estar encontrando conexões entre estes dois vídeos.
Seriam estas esferas "projetos" e experimentos de escudos para a proteção do nosso planeta contra as explosões solares que se nos atingem podem nos jogar na pré-história em 24hs?
Quem está por trás dessas verdades que nos ocultam? E com que intuito nos ocultam?
Vejam os intrigantes depoimentos nestes dois vídeos de épocas diferentes e tirem suas conclusões.
Eu já tenho as minhas escolhas feitas, penso ter compreendido "o desenho" do resultado desse quebra-cabeças.

Neste primeiro vídeo fica claro que a esfera rebate a onda de fogo da explosão.
Agora, neste outro vídeo, lá pelos  60 minutos vocês vão ouvir Bob Dean, muito antes deste 2012, fazer uma referencia a projetos para "escudos" de proteção contra as explosões solares.
É melhor assistir o vídeo todo porque o papo é bom e instigante.
Só não fica claro quem são os projetistas.


Sinto muito, sou grato.
Segue o jogo pois, o jogo segue e está longe de terminar.
Se é que termina...

sábado, 26 de maio de 2012

3 OU 4 RECADOS IMPORTANTES



PARA VOCÊ QUE AINDA NÃO DESPERTOU, E OU SE RECUSA ACORDAR, SAIBA QUE ESTÁ PERTO DE ACORDAR EM SEU PIOR PESADELO.
O BRASZIL, ESTE GIGANTE "ADORMECIDO", DEITADO EM BERÇO ESPLENDIDO, ONDE NADA NOS PERTENCE, NÃO É UMA ILHA ONDE SÓ HÁ IDIOTAS E ESCRAVAGISTAS VENDE PÁTRIA MAS, ESTÁ CERCADA DE CANALHAS E SAQUEADORES POR TODOS OS LADOS.
NÓS SOMOS (TODA A AMÉRICA LATINA), A SUA "TERRA PROMETIDA".
ESCRAVIZADOS PELOS BANQUEIROS E SEUS ASSECLAS HÁ MAIS DE 500 ANOS, SOMOS UMA NAÇÃO "QUILOMBOLA" QUE PRECISA SER REDUZIDA OU EXTINTA, PARA NÃO DILAPIDAR AS "SUAS" (DELES) RESERVAS ESTRATÉGICAS (ATÉ AQUI MUITO BEM CONSERVADA POR ELES) QUE GARANTIRÃO A SOBREVIVENCIA DESTE (AINDA INVISIBILIZADO) 4ºREICH NAZI SIONISTA JÁ EM PASSO DE GANSO ACELERADO SOBRE NÓS E O MUNDO.
VEJAMOS RECADOS, SOM NA CAIXA!


ESTE é DELES PARA NÓS





ESTE É PARA VOCÊS QUE NOS CHAMAM DE CONSPIRANÓICOS


ESTE É DE NÓS PARA ELES


O problema não somos nós, são os programas e memórias infelicitantes impostas milenarmente pelos SMITHs defendendo a "matrix" com unhas e dentes e nos acusando de vírus.
Eles são o vírus, não nós.
Nossa essência é divina e perfeita.
Não há nada de errado conosco, só precisamos limpar este lixo que nos impede sermos o amor incondicional que somos desde sempre.
SINTO MUITO, SOU GRATO
INSTRUA-SE. APROVEITE BEM ESTA BENDITA INTERNET ENQUANTO PODEMOS. SIGA O JOGO, O JOGO SEGUE...
Pensemos nisso, um grande abraço.

MAIS UM PEDAÇO DO LABIRINTO DO NADA


O Braszil é a Terra prometida? O "quilombo" do mundo?
Ou a bola 7 deste jogo macabro?
Onde anda tudo isso agora que o "yes we can" e outras fanfarrices são uma grande decepção para a maioria do mundo?
Conspiranóico?
Eu?
Ou NÃO?
Está montando o quebra-cabeças?
Continua não vendo nada?
Pateticamente prisioneiros no labirinto do nada, impotentes vamos assistindo  o avanço ao passo de ganso do invisibilizado 4º Reich.
Não sabe o que é 4º Reich? Pesquise sobre o 3º Reich.
Sinto muito, sou grato.
Segue o jogo...

sexta-feira, 25 de maio de 2012

UM PEDAÇO DO LABIRINTO DO NADA

É difícil a visão total do labirinto do nada em que nos aprisionaram, não é impossível, mas é preciso juntar as partes visíveis. Não é possível sair desta prisão se você acredita que ela seja a única realidade, o mundo real não é este com que tentam nos anestesiar impotentes.
Cada um tem que assumir 100% de responsabilidade sobre suas escolhas. A grande revolução já começou, queiramos ou não. Vejo-a pacífica, pois é humana. Não creio em soluções belicosas publicadas nos manuais inumanos escravagistas com que nos doutrinaram até aqui. Não posso mudar o mundo se eu não começar em mim e por mim mesmo esta "dangerosíssima" viagem.

A mudança começa dentro de mim mesmo e só eu posso fazê-la, é intransferível, já que de onde quer que eu admire o universo serei sempre o centro dele.
Abandonei as expectativas de mudar o mundo lá fora antes de modificar o meu mundo aqui dentro.
Abandonei a falsa expectativa em esperar gratidão sobre minhas boas ações. Procuro fazer o bem sem olhar a quem e ser grato por isso.
Dado o primeiro passo não parei mais. Se eu melhoro o mundo melhora. Se todos se revolucionam, todos melhoram, o mundo melhora...
Resta a esperança que cada um cumpra seu dever humanitário já que o sistema é inumano, só pensa em si e jamais na humanidade.

Desejo que encontrem energia positiva para não desistirem dessa doação nesta caminhada, que ao final, levará a todos para exatamente o mesmo lugar.
Mais uma vez sou grato.
Já tive sentimentos semelhantes aos seus, depois descobri que só eu posso mudar minhas crenças e escolhas, mais ninguém.


O filme foi sugestão de um anonimo.

NO AVESSO DO LABIRINTO DO NADA

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Dengue "hemorrágica" existe devido ao Paracetamol



Do documento "OFÍCIO DE REPRESENTAÇÃO AO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL" do Dr. Renan Marino
http://www.fileden.com/files/2010/8/2/2931828/MPF_Paracetamol.pdf

"Desde sempre se soube que o medicamento Paracetamol apresenta importante hepatoxicidade, sendo possível traçar um paralelo a partir do seu lançamento na década de 50 com a ocorrência dos primeiros casos de dengue hemorrágica, uma vez que desde sempre a dengue foi considerada uma doença benigna.
Mesmo assim, passou desapercebido à classe médica que em 1995, o Paracetamol respondia por 58% dos casos de insuficiência hepática nos EUA, bem como principal responsável nas indicações de transplante de fígado como terapêutica heróica nos casos de maior gravidade (4).
Em 1999, já representava a principal causa de insuficiência hepática aguda na Inglaterra (5). Diante disto, resulta ser inadmissível e paradoxal aceitarmos que esta droga, com tamanha capacidade de destruição tecidual, continue a ser recomendada pelo Ministério da Saúde
exatamente em casos de epidemia de dengue, onde o fígado é o principal órgão afetado."


 A epidemia da dengue no Rio de Janeiro é inevitável no momento, mas a dengue é tratável, sem complicações, os casos de "dengue hemorrágica" são comprovadamente provocados pelo uso do Paracetamol (Tylenol). Maiores informações no excelente web site do Dr. Marino. Estes videos estão na página: http://www.renanmarino.com
 
FONTE

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O HAARP E UM BRASILEIRO, O HOMEM MAIS PERIGOSO DO MUNDO ATUAL


 
Um físico brilhante publicou um livro revolucionário citando 30 outros trabalhos científicos que revelam que HAARP tem incríveis poderes muito além do que suspeita a maioria dos investigadores da tecnologia de energia de alta freqüência. Dr. Fran De Aquino afirma que uma rede totalmente funcional do HAARP, ativada globalmente, pode não só afetar o clima e eventos geofísicos, mas influir no espaço e gravidade… Inclusive o próprio tempo!

Agora, a rede está quase completa com a ativação das mais recentes instalações do HAARP na parte inferior do mundo: a desolada e alienígena Antártida. Os mestres do HAARP tornar-se-ão os mestres do tempo também?

Facções de três dos maiores governos do mundo — os Estados Unidos da América, a Federação da Rússia e da República Popular da China — podem ORDENAR A ELIMINAÇÃO do  homem que eles vêem como um dos mais perigosos do mundo. Não, ele não é o mais caçado terrorista multinacional do mundo, nem mesmo um cientista louco com um novo vírus que pode destruir a humanidade.

O homem mais perigoso do mundo é o físico brasileiro Dr. Fran De Aquino.
De Aquino não desenvolveu um raio da morte ou obteve códigos secretos para lançamento de mísseis nucleares no mundo. Ele tem feito algo potencialmente muito pior: ele tem derramado os "feijões" científicos e tecnológicos do maior segredo do mundo: o objetivo final do HAARP.
HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program) agora tem instalações "criss-crossing" do mundo e estende-se de pólo a pólo. As instalações da Antártica estão perto de conclusão.
De Aquino, diz que o papel da radiação High-power ELF gerada pelo  Aquecimento de HF modulado da ionosfera pode causar terremotos, ciclones e aquecimento localizado, e levanta o véu que esconde os "mágicos" do HAARP — e ao contrário do antigo mágico de Oz, os "mágicos" do HAARP têm algum poder real à sua disposição.
Trabalho acadêmico do físico — citando 30 outros trabalhos científicos, e semelhantes revisados— revela muito mais do que o incrível título do livro promete.

HAARP pode manipular a gravidade
A maioria dos pesquisadores do HAARP suspeitam há algum tempo que a tecnologia pode provocar terremotos e estimular furacões.
De Aquino tende a confirmar essas suspeitas, mas vai mais longe.
Utilizando altas freqüências, diz ele, o HAARP pode modificar, inclusive o controle da gravidade bloqueando ondas de gravidade localmente.
De Aquino sustenta que objetos pesados podem ser movidos, e mesmo transportados através da criação de "gravitacional shieldings." Mas, insiste o cientista, HAARP pode fazer ainda mais.
A tecnologia ELF pode gerar gravitacionais mantos de blindagem que são feitos por camadas de semicondutores de alta força dielétrica  colada por duas camadas de folhas metálicas e camadas de isolamento. O manto de blindagem gravitacional pode ser feito para que tenha apenas 1 milímetro de espessura."

A alegação de Aquino se sustenta pelas experiências do outro físico, Dimitriou Stavros TEI-Atenas, Deptartmento de engenharia elétrica na Grécia. Stavros demonstrou com sucesso uma interação eletromagnética com o campo de gravidade.
Do seu resumo:
The period of the pendulum oscillations of a suspended electromagnetic resonant circuit formed by quarter-wavelength transmission line sections is found to be affected by electrical parameters of the oscillator driving it. Of particular influence appears to the magntitude of current at resonance, which depends on the effective quality factor (Q) of the RF tank circuit and the input driving power.o.

Ainda, o mais surpreendente de tudo, De Aquino afirma que o poder supremo do HAARP é sua capacidade de distorcer o tempo.
Dilatação do tempo, um efeito relativístico descrito na teoria especial da relatividade de Einstein, é criada por massa se aproximando da velocidade da luz e afetando a gravidade pela deformação de espaço-tempo.

HAARP pode controlar o tempo e o espaço.
De Aquino mostra que, quando submetidas a um campo eletromagnético de ELF uniforme, a massa pode ser transferida para um tempo diferente relativo para observadores externos. Isto é feito artificialmente, e a vontade.

A avançada tecnologia de teletransporte HAARP.

A analogia que ele representa considera um navio no oceano. Ele explica... O navio "é feito de aço. Quando submetido a um campo eletromagnético de ELF uniforme, com intensidade e freqüência o navio executará uma transição no tempo para outro momento. É importante observar que o campo eletromagnético, além de ser uniforme, deve permanecer com o navio durante a transição para o novo tempo. Se não for uniforme, cada parte do navio realizará transições para diferentes momentos no futuro. Para que o campo eletromagnético permaneça com o navio, é necessário que todas as peças, que estão envolvidas com a geração do campo, permaneçam dentro do navio. Se as pessoas estiverem dentro do navio elas realizarão as transições para tempos diferentes no futuro porque suas condutividades e densidades são diferentes."

Notavelmente, é quase o exato cenário descrito pela testemunha Carl Allende do experimento Filadélfia. Agora amplamente considerado como uma história fabricada, no início da década de 1940 U.S. A Marinha alega que o experimento denominado projeto Rainbow nunca realmente ocorreu.

HAARP baseia-se no trabalho de Nikola Tesla, há um século.
Crentes da história, no entanto, afirmam que o famoso inventor e gênio elétricista Nikola Tesla ajudou no experimento que envolveu um navio escolta naval o USS Eldridge. O objetivo foi criar invisibilidade, mas acabou tragicamente quando o navio foi espacialmente transportado  e partes dele ficaram presas em anomalias temporais.

Suspeita-se fortemente que grande parte da tecnologia HAARP é um trabalho de Tesla — atualizado e melhorado — e construída sobre os mais recentes conhecimentos científicos do século XXI.
Assim,   para o que será HAARP usado? Guerras do tempo? Manipulação de eventos geofísicos? Manipulação da gravidade? Deformação de espaço-tempo? Alguns pensam que a tecnologia é para enlouquecer as pessoas.
O mais perigoso homem vivo, Dr. Fran De Aquino, afirma que é tudo o que foi dito acima e procede.

FONTE
O texto foi traduzido pelo Amanagé re com ajuda do  http://translito.com/

Pergunta o Amanagé re; será que os famosos CHEMTRAILS  fabricando uma "teia" envolvendo o mundo são parte integrante desse projeto HAARP? Pensou nisso?

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Não falei que a caixa de Pandora foi aberta e não percebemos?

Este dinheiro aqui ao lado é novo.
Este vídeo aí embaixo não é novo, é bem recente, não tem nem 100 anos, vem dos tempos do lançamento do SUPER STAR NOBEL PRICE DA PAZ OBAMA e seus lero leros eleitoreiros.
Segue o jogo.
Já vimos este PADRÃO na construção da história do 3º REICH E ANTERIORES, e agora, quando vamos "adentrando os gramados" do 4º REICH tá todo mundo (outra vez) correndo de cabeça baixa olhando só para a bola.
Certamente estes, "because Obama eu estou inspirado" e o "SIM nós podemos", motivaram muitas almas ingenuas...
Estamos sempre atrás da bola, correndo de cabeça baixa.
Gostaria de saber onde anda tudo isso agora que o "yes we can" e outras fanfarrices são uma grande decepção para a maioria do mundo. Ou NÃO?
Seremos todos ao final zumbificados? Repetindo peripateticamente o subserviente lero lero que precede todos os atos inumanos dos regimes tirânicos ao longo destes milênios de escravagismo genocida em busca deste 4º e definitivo REICH?
Este é O JOGO que nunca esteve em um a zero para os Senzalados Futebol Clube. O "time deles" apenas troca a camisa e o lado após os intervalos.
Sinto muito, sou grato. Arre! Segue liimmmppaaaannndoooooo o jogo, o jogo segue...

Certas coisas precisam ser explicadas...

 "A rede mundial de computadores é uma realidade que neste momento coloca os donos do mundo (e da informação) em alerta."
Imagina desfrutarmos da "máquina do tempo"? Pois, esta bendita internet permite isto. Usemos enquanto podemos. Resgatar certos momentos é perceber que ainda somos os mesmos e que de certo ponto de vista vivemos pior que nossos pais.
Incrível, a caixa de pandora está aberta e certamente a máquina do tempo enguiçou.
Mas, há muita coisa que não podemos deixar de cultivar por razão de  nossa higiene metal. Nos dias atuais, por razão de defesa de nossa sanidade, isto é mais que necessário. Daí a necessária permanente limpeza de memórias e programas infelicitantes.
Laerte Braga é um desses seres humanos que tem o poder de lavar a minha alma. O artigo que reproduzo vai fazer aniversário mês que vem...
Prisioneiros no labirinto do nada, pateticamente vamos assistindo o avanço ao passo de ganso do invisibilizado 4º Reich. É a comprovação cabal do poder etupidificador da midiocracia nazi sionista vigente assegurando não ser mesmo possível reconhecer o que não conhecemos. Fique aqui o registro desta constatação.
Salvar-nos-a a bendita internet?
O CONTROLE DA INFORMAÇÃO


Posted: 17 Jun 2011 12:13 PM PDTO CONTROLE DA INFORMAÇÃO


Laerte Braga


As diversas manifestações estudantis em vários pontos do Brasil, basicamente em protesto contra aumento de tarifas de transportes coletivos urbanos, começam a ganhar um vulto maior e atrair lideranças sindicais e os cidadãos comuns.
Num dado momento dessa reta houve e está acontecendo a intercessão do perceber a necessidade de acordar, levantar, sacudir a poeira da verdade única e ir às ruas mostrar o desejo de uma sociedade diferente da que temos, calcada na verdade única e absoluta do capitalismo.
A mídia exerce papel preponderante nesse processo. No Brasil, como de resto em muitos países, a chamada mídia privada (redes nacionais de rádio e tevê, jornais e revistas) é propriedade de algumas famílias, pouco mais de oito, literalmente a palavra família nesse caso tem o sentido mafioso.
A importância do controle da informação antiga. À época da guerra fria os dois lados faziam uso de potentes emissoras de rádio para veicular suas verdades, ou os fatos segundo seus interesses.
O mundo como é hoje, sob a tutela de uma única potência assentada em milhares de ogivas nucleares e com caráter terrorista, faz com que a informação seja decisiva noutra ponta do processo. O de desinformar e alienar o que levou um apresentador do principal telejornal brasileiro (o de maior audiência) a rotular o telespectador de idiota, comparando-o ao personagem Homer Simpson de uma famosa série de tevê nos EUA.
A rede mundial de computadores é uma realidade que neste momento coloca os donos do mundo (e da informação) em alerta. Acendeu a luz laranja, em alguns momentos a luz vermelha.
A necessidade de domar esse instrumento de liberdade está manifesta na farsa montada contra Julian Assange, fundador do site WIKIELEAKS, que trouxe a público documentos secretos do governo de Washington e revelou toda a barbárie, todo o cinismo que se esconde por trás da tal democracia exportada pelo complexo terroristas EUA/ISRAEL TERRORISMO S/A para o resto do mundo.
Toda a teia intrincada de manobras, assassinatos seletivos, mentiras para justificar guerras, tortura, enfim, o que se possa imaginar em termos de boçalidade e principalmente objetivo final de controle absoluto de todo o mundo. O governo mundial submetido a verdade única (criada por eles, vendida por eles), bem mais cruel que o que se leu e se viu em O ADMIRÁVEL MUNDO NOVO de Aldous Huxley, ou em 1984, de George Orwell.
O grande irmão é uma realidade.
Na prática, regredimos à Idade Média e já é possível encontrar filmes produzidos em Hollywood (meca do capitalismo/sionista), uma perspectiva de mundo destroçado, mas repleto de tecnologias de destruição (MAD MAX, lançado em 1979 na Austrália, dirigido por George Miller e que acabou conferindo a Mel Gibson o status de estrela do mundo do cinema).
Num futuro não tão distante do que temos hoje, num quadro apocalíptico, num deserto, gangues de motociclistas lutam pelo poder e aterrorizam as populações por um pouco de gasolina.
Qualquer semelhança com a ação dos EUA no Oriente Médio não é mera coincidência. O país sumiu, dissolveu-se, hoje é um complexo antevisto pelo general e ex-presidente Dwight Eisenhower (complexo industrial e militar), controlado por empresas petrolíferas, indústria de armas e setor financeiro. O próprio cidadão norte-americano perdeu sentido nesse processo, à medida que o ATO PATRIOTICO, base do terrorismo de Estado, permite o assassinato sem julgamento daqueles suspeitos de atos anti-EUA.
Esse terror se espalha pelo mundo inteiro e neste momento dissolve a Grécia, a Irlanda, a Espanha, como o fez com a antiga Grã Bretanha (hoje Micro-Bretanha), começa a chegar a Portugal e certamente vai chegar ao Brasil. Os últimos dados da política externa dos EUA mostram a secretária de Estado Hilary Clinton, uma das operadoras do terror, jantando com ex-presidente sul-americanos, dentre eles FHC, discípulos dessa seita doentia e insana, acima de tudo amoral.
Julian Assange está em prisão domiciliar na Inglaterra acusado de crimes sexuais, farsa montada pelo governo norte-americano através da colônia européia chamada Suécia, à espera de ser extraditado ou não e em seguida entregue a Washington, onde, é óbvio, vai sumir num campo de concentração Guantánamo ou qualquer outro.
A OTAN – ORGANIZAÇÃO DO TRATADO ATLÂNTICO NORTE –, principal braço terrorista do complexo na Europa, está alarmada com a presença de hackers identificados como ANONIMOUS, que invadiram seus computadores, seus sistemas de defesa e mostraram ao mundo que o ataque cruel e covarde à Líbia tem objetivos bem diversos daqueles veiculados pela GLOBO no Brasil, ou qualquer outra similar, o enorme braço midiático do terrorismo.
Jovens em todas as partes começam a se levantar à revelia de partidos carcomidos pelo poder de suas cúpulas podres (vale para o PT no Brasil) e a ir às ruas a partir de intensas mobilizações em redes sociais na Internet, sem uma definição precisa do que querem, muitas questões pontuais, mas acima de tudo um grito sobre o que não querem.
O modelo capitalista vigente, escravagista e que transforma o ser humano em robô, em peça de uma engrenagem perversa e montada em colunas imensas de hipocrisia.
Uma pesquisa recente revela que a maioria dos jovens não enxerga nos partidos a opção por mudanças e têm a Internet como “ferramenta política”.
A pesquisa foi realizada pela AGÊNCIA BOX 1824 e o Instituto Data Folha (ligado à FOLHA DE SÃO PAULO, um dos principais instrumentos da ditadura militar no Brasil, inclusive cúmplice de assassinato de presos políticos e hoje, porta-voz do braço partidário dos EUA, o PSDB).
Não há isenção no dado em si, ou boa informação na sua divulgação. Os resultados servem para orientar a necessidade – que é mundial do terrorismo de EUA/ISRAEL TERRORISMO S/A – de buscar caminhos para cercear a liberdade absoluta da rede mundial de computadores e ao mesmo tempo retomar o controle sobre a juventude.
Mais ou menos como em LARANJA MECÂNICA, livro do escritor inglês Anthony Burgess, que o notável diretor Stanley Kubrick transformou em um filme extraordinário e revelador do caráter opressor e doentio das elites políticas e econômicas inspiradas pelo poder divino do qual se revestem em sua hipocrisia santa.
Os dados revelados pela pesquisa são expressivos para uma análise simples.
Vamos voltar ao Espírito Santo e as manifestações estudantis. No estado não existe propriamente um governador, mas um capataz de empresas. O dinheiro público sustenta – estamos falando de informação – uma das muitas redes regionais de comunicação onde a venalidade é a regra geral, o item principal da razão de ser, falo da REDE GAZETA. Tevê (retransmite a GLOBO), rádio e jornal.
Noticiar as manifestações tudo bem, é um fato jornalístico. Definir as manifestações é outra história. É justificar o dinheiro público que sustenta a empresa (se sair esse dinheiro quebra). Dentro dessa lógica os protestos são noticiados, os manifestantes transformados em “baderneiros” e a Polícia Militar (organização terrorista escorada no tal mundo institucional) é sempre “obrigada” a intervir com “vigor”, para evitar “danos ao “patrimônio público” (esse patrimônio é usado por eles donos, para eles, serve a eles, mas é pago pelo cidadão comum).
À época da ditadura militar um dos instrumentos usados na resistência era repassar a barbárie do regime de terror à imprensa estrangeira para que repercutisse no País e poucos brasileiros pudessem tomar conhecimento do que de fato acontecia, tendo em vista a censura e a submissão de jornais, rádios e tevês como a GLOBO, a FOLHA DE SÃO PAULO, etc. Mas era e foi essencial para desmascarar a farsa democrática decidida em Washington.
Quando acontece, por exemplo, um crime como o que vitimou o ambientalista Chico Mendes, líder dos seringueiros na Amazônia e personagem mundial por sua luta, é como se um pouco de água tivesse feito transbordar o copo e aí não tem jeito. A notícia é dada, o fato é revelado e os responsáveis pelo crime demonizados, mas permanecem impunes, como garantidos permanecem os seus negócios, na exata medida que o assunto fica logo esquecido, ao contrário do caso Nardoni, onde a exacerbação do crime – que não tem motivos políticos e nem causa danos ao modelo, o que é fundamental para eles – se torna fator de alienação. De comoção nacional.
Qualquer mulher melancia, ou mulher laje mostrando seus atributos ao mercado será sempre bem vinda, ao contrário de protestos contra governos e empresas que controlam a mídia e fazem da mídia braço do controle que exercem sobre o País, no caso o Brasil.
A tevê RECORDE iniciou no último domingo uma série de reportagens sobre irregularidades cometidas por Ricardo Teixeira, presidente da CBF – CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE FUTEBOL –. Ano passado a justiça decidiu contra a GLOBO sobre o direito de transmissão dos jogos do campeonato brasileiro e a RECORDE, como outras, entrou na briga junto aos clubes e a CBF para ficar com esse filé mignon do futebol – milhões de reais e índices elevados de audiência –
Na briga das máfias da comunicação a GLOBO levou vantagem. Fez ofertas melhores que a RECORDE, que a REDE TEVÊ, manteve a exclusividade de transmissão de jogos do campeonato brasileiro. Briga de máfias.
Neste momento Ricardo Teixeira passa a não prestar para a RECORDE. Fosse o contrário, não prestaria para a GLOBO. No duro mesmo não presta para nada. Não há coragem alguma e nem compromisso com a informação séria nas denúncias contra o presidente da CBF. Há interesses e pseudo-jornalismo livre, independente.
A RECORDE pertence a um grupo de mafiosos liderados por Edir Macedo, com projetos políticos para o Brasil e ligado a estranhas operações da CIA e da MOSSAD em países do Oriente Médio. Tenta implantar seus templos/lojas de dízimo para ludibriar incautos cidadãos, na mesma forma que, neste momento, tenta mostrar jornalismo independente, tudo com objetivo político e ganhos, evidente.
Num dos programas da RECORDE, dentro de um planejamento estratégico, tático, uma cidade mineira foi alvo de reportagem sobre o terror dos bailes funks (droga, brigas de gangues, sexo em via pública, toda essa “cultura” vendida pela comunicação, vendida e combatida, uma ponta e outra).
Na semana seguinte o jornal O GLOBO circulou com um caderno especial sobre a dita cidade, acordo entre a Prefeitura – que é tucana, mas poderia ser petista, ou DEMocrata, é um clube de amigos e inimigos cordiais- e a empresa, publicidade arrecadada entre empresários muitos deles distantes dos objetivos do tal caderno e verba pública para custear o grosso do negócio.
A denúncia feita pela RECORDE é correta, até porque o jornalista que a fez é sério, ao contrário do caso Ricardo Teixeira. Mas o jogo dos grandes grupos não, e está presente em cada momento da comunicação no Brasil.
A expressão progressista encobre uma artimanha da falta de coragem de assumir o viés de luta popular. Falo agora de Internet. Antônio Ermírio de Moraes que devasta florestas Brasil afora e planta milhões de pés de eucaliptos para manter seus negócios, poderia se auto rotular progressista. Por que não? Na cabeça dele ele leva progresso onde chega. Como o cavalo de Átila. A grama não medra, mas é progresso, no entendimento deles e nas loas tecidas pela mídia.
Há um outdoor célebre quando da implantação da ARACRUZ no Espírito Santo, em que a agência de publicidade colocou o seguinte – “A ARACRUZ TRAZ O PROGRESSO, A FUNAI TRAZ OS ÍNDIOS”.
Ora a empresa e Ermírio de Moraes tomou, saqueou, roubou propriedade dos índios que estão lá desde a descoberta do Brasil. No afã de enganar o cidadão comum com essa conversa de progresso (dele e dos seus evidente), cunhou essa “preciosidade” preconceituosa e criminosa.
O ministro das Comunicações Paulo Bernardo vai dizer a “progressistas” que entregar a banda larga às grandes empresas de comunicação é um excelente negócio, vai levar Internet a todos os brasileiros e propiciar “democracia” nas comunicações. Progressistas vão bater palmas e achar que é assim.
Mas é o contrário. O custo da banda larga “democrática” que o ministro das empresas vai vender é pelo menos três vezes maior que a banda larga administrada pelo Governo ou pela comunidade.
Mas progressistas vão bater palmas.
O governo Dilma Roussef até agora é uma sucessão de equívocos, de biruta desgovernada, de direção contrária aos compromissos assumidos em campanha, mas chapas brancas vão estremecer de emoção à vista do ex-ministro José Dirceu, uma espécie de Cauby Peixoto da política (as fãs tentam agarrar, arrancar pedaços da roupa, etc, etc).
Mas e daí? É o que temos, o que escolhemos no segundo turno (votei em Ivan Pinheiro e depois em Dilma por exclusão).
Só que a presidente está prestes a transformar a PETROBRAS em única empresa petrolífera do mundo a não dispor de uma frota de petroleiros própria. Vai privatizar o esquema.
Os progressistas vão dizer que a decisão é fundamental para avançar mais à frente noutros pontos. Que pontos? Ajoelhar quando os colonizadores instalarem suas bases/negócios?
O tal Programa de Modernização e Expansão da Frota da Petrobras (PROMEF) está repassando a uma empresa chamada SETE BRASIL, a responsabilidade pela construção de 49 navios contratados pelo programa.
A PETROBRAS tem dez por cento da empresa SETE BRASIL, junto com a PREVI, PETROS, FUNCEF E VALIA e os bancos BRADESCO E SANTANDER os restantes noventa por cento. São os donos da frota petrolífera da empresa estatal. Está privatizada no acordo.
O governo é de Dilma, eleita por Lula, prometeu o contrário, não tem nada de progressista.
Essa empresa vai ser responsável pela construção futura de sondas para exploração do pré-sal. O dinheiro sai do cidadão via BNDES, os bancos lucram e o Brasil fica a ver os navios da privatização.
Progressismo?
O governo pagou a revitalização dos estaleiros existentes, a construção do estaleiro Atlântico Sul, mas os juros e os prazos para a SETE BRASIL são menores e subsidiados com prazos maiores, além das tarifas pagas a PETROBRAS menores que as de mercado, digamos assim, o custo dos afretamentos maiores (para a PETROBRAS que vai pagar por seus próprio navios), para “remunerar o capital desta nova empresa formada por banqueiros”.
Quem pode dizer que isso não é ser progressista?
É outra tentativa de controle da informação principalmente na Internet. Mas por trás disso estão inocentes e ingênuos lutadores, ludibriados por espertalhões dos grandes negócios da comunicação.
A luta que os estudantes do Espírito Santo, de São Paulo e várias partes do País nos mostra é que a comunicação não pode ter dono é nem sempre o que parece ser o é de fato.
Caso de Dilma (até agora pelo menos) e dos tais “progressistas”.
Entreguistas cairia melhor.
O artigo está grande, extenso? Certas coisas precisam ser bem explicadas para que não haja dúvidas e esse tipo de argumento é falta do que falar sobre o que está sendo dito. Antes o risco de ser prolixo, ou a realidade de ser hipócrita ou cúmplice.
Related Posts with Thumbnails