O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

quinta-feira, 10 de junho de 2010

No mundo todo os novos campos de concentração na forma de favelas.

domingo, 14 de fevereiro de 2010
Os Novos Campos de Concentração na Forma de Favelas
por GEOCONHECIMENTOS



Quando vemos imagens ou relatos de pessoas que passaram pelos campos de concentração, de imediato nos indignamos diante de tal barbárie humana. Assim como fatos atuais, esses fatos já foram presentes e hoje são passados, no entanto, no auge do acontecido, na época a opinião pública foi isolada de qualquer informação sobre o que aconteceu, porém não podemos esquecer que tais atos tiveram a conivência por parte de alguns países e omissão de outros, pois havia interesses econômicos e políticos em jogo.
O campo de concentração serviu não só como espaço de experiências científicas, mas principalmente como uma demonstração de superioridade de uma ideologia sobre uma parcela da população que não apresentava utilidade dentro de uma determinada concepção de sociedade traçada por grupos específicos.
Diante de uma atual realidade política, econômica, social e cultural podemos perceber que pessoas são jogadas a residirem em favelas, a lutarem pela sobrevivência e são jogadas a própria sorte. São pessoas de origens diversas, de culturas diversas, de olhares diversos mais que possuem algo em comum, ou seja, o ato de sonharem. Assim como nos campos de concentração, aos poucos vão perdendo seus sonhos, e são colocadas nas câmaras de gases do vício das drogas, do desemprego, da falta de perspectivas na perda de identidade enquanto pessoas. São desassistidas pelo Estado, pois as políticas públicas fundamentais são repassadas de forma a não terem resultados positivos. Imaginemos a saúde, a segurança, o transporte e as demais políticas públicas que não existem nem de fato e nem de direito.
Assim como no passado, os problemas das favelas são criados a partir de uma lógica de extermínio, só que de forma mais branda e lenta, para que não cause indignação imediata, logo as coisas são passadas de forma pensada para que se tenha uma imagem de naturalidade. Os grandes beneficiários do passado são justamente as grandes potências de hoje. E os beneficiários do presente, são justamente aqueles que almejam o poder. Pois ainda estão em jogo os mesmos interesses do passado, porém de forma mais estratégica.
Uma de suas principais estratégias é sempre ligarem drogas a favelados, enquanto seus reais beneficiários não são nem favelados e nem pobres.


No futuro as autoridades atuais serão repugnadas e tidas como coniventes e omissas diante do extermínio em massa também de forma fria, cruel e desumana, porém lenta, com uma população que se aglomera em favelas, assim como fazemos hoje com as autoridades do passado com os campos de concentração, seus executores, aliados e omissos.

2 comentários:

  1. Prezado Aldo Luiz, A elite que orquestra nosso país escondeu-se na sombra de uma "estória" no Brasil impressa em nossos livros sob a tutela deles, e então nós ainda não conhecemos a verdadeira História do Brasil. O motivo da exclusão do cidadão desde a posse destas ricas terras, até nossos dias, sómente a luz para abrir nossas mentes e enxergarmos a verdade real. Estamos neste mundo para aperfeiçoamento portanto, deixemos transcrito o início de nossas pesquisas na conquista de soluções e justiça social.
    abraços,
    Marilda Oliveira

    ResponderExcluir
  2. Muito grato por sua presença e vibração Marilda, repito aqui sua citação, pois muitos estão despertando deste pesadelo em que nos aprisionam.
    "Os adultos devem assumir a responsabilidade de conduzir as crianças por caminhos que elas desconhecem “A escola não é de modo algum o mundo, nem deve ser tomada como tal; é antes a instituição que se interpõe entre o mundo e o domínio privado do lar” Hannah Arendt
    Te amo, sou grato.

    ResponderExcluir

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails