O QUE NÃO SABEMOS NÃO EXISTE.
"Quando Creonte lhe diz “tu és a única, em Tebas, a defender tais opiniões”, Antígona responde com grande lucidez:
"-TODOS OS QUE ME OUVEM OUSARIAM CONCORDAR COMIGO SE O MEDO NÃO LHES FECHASSE A BOCA."
Pensar sempre foi considerado conspiração. Este blogue é parte do inadiável processo de novas escolhas na minha permanente ressonante infinita faxina espiritual. Nosso mundo é o que supomos conhecer, bendita Internet. Perceber e compreender faxinando os programas de jogos de memórias escravagistas que estão milenarmente sabotando a sanidade de nossas existências é a nossa única saída... Nada, religião alguma, lei alguma substituirá a consciente responsabilidade (100%) dos julgamentos, escolhas e decisões de cada um de nós. Ninguém virá nos salvar da escravidão... Só podemos escolher entre o medo catabólico e a gratidão anabólica ao afeto incondicional. Onde há amor não há perdão. A verdadeira maravilhosa revolução é intrapessoal, urgente e intransferível. Nós somos os deuses amorosos pelos quais temos esperado. Somos almas. Mantenhamo-nos na vibração da fé no afeto incondicional, todos os espíritos corações e mentes estamos interconectados na Teia Cósmica.
"O SISTEMA" É PSICOPÁTICO, ALIENÍGENA, INUMANO, PEDÓFILO, ANTROPOFAGICAMENTE CORRUPTO E ESCRAVISTA POR NATUREZA. SÃO "DIABÓLICOS". TODAS AS UTOPIAS HUMANITÁRIAS SÃO CONCESSÕES TÁTICAS DENTRO DA MILENAR ESTRATÉGIA ESCRAVAGISTA.
http://www.artmajeur.com/aldoluiz/
Em tempo; amanajé ré significa mensageiro amigo em tupi guarani.

Compartilhemos

Share |

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Chomsky: EE.UU. busca renovar sua intervenção na América Latina


Durante uma palestra na segunda-feira em Caracas, o ensaísta político observou que ajuda militar dos E.U. no hemisfério é superior à ajuda econômica e social e instou a Unasul se opor à militarização do continente.
TeleSUR _ ago: 23 minutos

O renomado estudioso americano Noam Chomsky, disse hoje que a instalação de bases militares dos E.U. na Colômbia é apenas parte de um esforço mais amplo para restaurar a capacidade de Washington para a intervenção e lembrou que as invasões do norte do país na segunda metade do século XX, aos países latino-americanos os deixaram sob governos militares brutais.

Durante uma palestra na segunda-feira no Teatro Teresa Carreño, na capital venezuelana, Caracas, o lingüista e ensaísta político americano advertiu que os Estados Unidos, espera ampliar suas bases militares ", e existem rumores não confirmados de criar outras bases mais.

Ele observou que a ajuda militar ao seu país no hemisfério vai além do auxílio econômico e social. "Este é um novo fenômeno que ocorreu durante a Guerra Fria (...) Esses programas têm fortalecido as forças militares na região em detrimento das autoridades civis e agravou os problemas dos direitos humanos e os conflitos sociais têm gerado muito importante e instabilidade política, de acordo com um estudo realizado pelo Escritório de Washington para a América Latina ", disse Chomsky.

Ele ressaltou a importância da União de Nações Sul-Americanas (UNASUL) como um passo importante para processo de integração latino-americana e observou que, pela primeira vez em sua história, os países da região estão decidindo como resolver seus problemas sem a presença E.U.A.

Também questionou o papel desempenhado por Washington durante o "golpe militar que tomou o poder do presidente hondurenho, Manuel Zelaya. Na sua opinião, a resposta E.U. foi fraca, por não usar a sua influência. Ele citou o embaixador dos E.U. em Tegucigalpa que nunca foi revogada, nem pagou uma penalidade financeira. Ele acreditava que o que aconteceu em Honduras em 28 de junho ", foi um golpe diferente, porque os E.U. não apoiou diretamente, mas favoreceu, sob as vistas da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Ele destacou o recente relatório da Amnistia Internacional (AI) que informou as graves violações dos direitos humanos em Honduras por parte do regime, de fato, liderada por Roberto Michelleti e afirmou que essas informações devem estar nas primeiras páginas da imprensa, mas foi minimizado.

Sobre as ações comerciais e diplomáticas que a Venezuela tem tomado quanto as instalações de bases militares na Colômbia pelos E.U., Chomsky argumenta que esse país não pode sozinho ter uma resposta significativa, e essa é a tarefa da América Latina como um todo.

A este respeito, disse que a reunião da Unasul a ser realizada nesta semana em Bariloche, na Argentina, deve ser o fórum para uma indicação mais forte, que se oponha à militarização do continente. Ele alertou que a América irá procurar sempre uma desculpa para ter uma presença em outros países, especialmente em regiões estratégicas com fontes de energia adjacentes.

Em 14 de agosto, o governo da Colômbia anunciou a conclusão das negociações para a instalação de sete bases militares americanas no seu país, estão cobertas por um acordo de cooperação para supostamente combater o narcotráfico e o terrorismo "e tem gerado grande preocupação nos países da região. O acordo inclui a presença de sete bases militares na Colombia e foi descrito como uma ameaça e um fator de desestabilização para vários países sul-americanos, e que abordou o tema na recente reunião da Unasul, realizada em Quito, Equador.

Espera-se que a cimeira de Bariloche seja feita uma nova declaração contra as bases militares que os E.U. pretendem instalar na Colômbia. teleSUR-VTV-Pl/ve - MM

SINTO MUITO ME PERDOE TE AMO SOU GRATO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos são bem vindos, estamos aqui para compartilhar experiências que nos iluminem, mas, por força de impertinentes baixas vibrações planetárias sou obrigado a moderar os comentários. Para bons comentadores este pingo é letra. Sintam-se em casa. E muito grato pela lúcida carinhosa presença. Venham sempre que lembrarem, se gostarem divulguem, compartilhemos nossas descobertas.Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato. A faxina é infinita.

Related Posts with Thumbnails